Mulheres exigem respeito e mais direitos em marcha no Centro de Salvador

Marcha mulheres Salvador

Mulheres de diversos segmentos da sociedade realizaram uma grande marcha pelas ruas do Centro de Salvador no fim da tarde desta segunda-feira (17), em continuidade ao atos do mês da mulher. Muitos homens também participaram da caminhada, que é o principal evento de um amplo calendário de atividades em todo o estado e reuniu trabalhadoras, parlamentares, sindicalistas, donas de casa e militantes de vários ramos do movimento social.

“A marcha não é apenas um evento, mas sim uma demonstração da unidade do movimento de mulheres em torno das nossas bandeiras de luta. Tivemos muitas conquistas nos últimos dez anos, mas ainda precisamos avançar muitos mais, tanto na representatividade política nas casas legislativas, quanto na questão do combate à violência”, ressaltou a vice-presidente da CTB Bahia e dirigente da UBM, Rosa de Souza, uma das organizadoras da caminhada.

A secretária de Mulher da CTB Bahia, Marilene Betros, lembrou também da importante luta por igualdade de oportunidades no mercado de trabalho. “Somos mais de 55% da população economicamente ativa, mas ainda ganhamos menos que os homens e somos preteridas para os cargos de maior importância. Isto é inadmissível, pois temos a mesma capacidade psicológica e intelectual do homem. Nós temos que ter as mesmas oportunidades e ganhar o mesmo salário pelo nosso trabalho”, acrescentou.

Mais mulheres na política

Presente ao evento, a secretária nacional da Mulher da CTB, Ivânia Pereira, saudou as baianas pela marcha e ressaltou a importância das mulheres irem para as ruas lutar contra a violência e, principalmente por maior participação política. “Mais mulheres nos espaços de poder pode agilizar a tramitação de projetos importantes e também evitar que outros, que retiram direitos das mulheres sejam aprovados”.

Única representante das mulheres baianas na Câmara Federal, a deputada Alice Portugal (PCdoB) falou da importância de eleger mais mulheres nas eleições de outubro para garantir a votação de projetos de interesses femininos. Para ela a igualdade de representatividade só será conquistada com uma reforma política, que garanta a paridade no número de candidatos e de eleitos como acontece em outros países. “Só com a paridade é que podemos avançar na conquista de direitos. Mas, continuamos na luta para eleger mais mulheres e a cada março, é uma nova esperança”.

A senadora Lídice da Mata (PSB), primeira mulher a representar a Bahia no Senado, também ressaltou a urgência de aumentar a representação feminina no Congresso Federal e na Assembleia Legislativa da Bahia. Para a senadora, foi a presença e o olhar das mulheres, mesmo em minoria, que garantiram os avanços da Constituição de 1988 e continuam conquistando vitórias importantes no Congresso, mas é preciso uma representação ainda maior para avançar nas conquistas.

Fonte: CTB Bahia

Compartilhar: