Movimentadores de mercadorias se reúnem com representantes do MTE

Na última quinta-feira (08), dirigentes de Sindicatos e Federações da Movimentação de Mercadorias reuniram-se com representantes do MTE, em Brasília.

O coordenador de registro Sindical (CGRS), Cesar de Castro Haiachi, que recebeu os sindicalistas ouviu atentamente as colocações, questionamentos e reivindicações da categoria que tem ao longo de meses tentado negociar com objetivo de minimizar os conflitos existentes entre as categorias dos mais diversos setores econômicos.

Para os dirigentes é que a falta de compreensão e amplitude do que se diz respeito da categoria diferenciada dos movimentadores de mercadorias no que compreende a lei 12023/09 e a portaria 3204 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

De acordo com os sindicalistas existem diversas contradições no entendimento e interpretação da lei. Mas o que não se pode deixar de analisar, ainda segundo os dirigentes, é a especificidade da atividade exercida e dos CBO’s enquadrados, é clara a existência dos trabalhadores na movimentação de mercadorias de todo o Brasil e não podemos levar essa discussão para dentro do conselho de relações do trabalho, pois a competência é jurídica e não cabe nem mesmo ao Ministério decidir sobre, os caminhos seguem com decisões transitadas e julgadas onde as decisões sempre levam ao entendimento a favor da representatividade dos movimentadores. 

A solicitação dessa agenda foi feita pela CTB, que foi representada por Pascoal Carneiro, secretário-geral, que mais uma vez colocou-se apoiou a decisão de não participar do documento elaborado pelas demais centrais, que não reconhecem a representatividade da categoria e dos sindicatos da movimentação de mercadorias.

“Iremos caminhar em defesa dos trabalhadores e esse levante contra as entidades da movimentação não terá apoio da CTB. Nosso entendimento é que os companheiros representam os trabalhadores e trabalhadoras com vínculo empregatício e toda e qualquer discussão a respeito disso se inicie a partir da portaria 3.204 e da lei 12.023/09”, sinalizou Pascoal Carneiro.

sintramcat mte14

Segundo o dirigente da CTB São José do Rio Preto, Alex Cardoso, há tempos os dirigentes tentam negociar com as Centrais um acordo para dar fim ao conflito, onde os trabalhadores da movimentação de mercadorias fossem os beneficiários. “Não há vencedores ou derrotados, há sim um grande prejuízo à classe trabalhadora de todo o Brasil”, destacou Cardoso.

De acordo com Pascoal Carneiro, diante do impasse os representantes da categoria levarão para próxima reunião do conselho que a proposta de retirada das discussões, por entendermos que a peça não é cabe mais interferência ou ingerência do CRT. “Essa será a proposta da CTB, mas podemos reafirmar nosso empenho e compromisso com os movimentadores de todo o Brasil seguiremos juntos na luta da classe trabalhadora e na defesa dos direitos dos sindicatos”, destacou.

 Durante a reunião, o Sindicato dos Movimentadores de Mercadorias de Catanduva (Sintramcat) entregou dossiê sobre a história da categoria e dos sindicatos. “Queremos que os representantes do MTE vejam e analisem nossa história e que possam avaliar com a responsabilidade que cabe o assunto. Ouvindo não apenas outras categorias e entidades sindicais, mas também dando voz aos movimentadores, que por anos luta trabalham e movimentam essa nação”, afirmou o presidente do Sintramcat,  Reginaldo Marcelo Borges.           

Portal CTB com Alex Cardoso

Compartilhar: