Metroviários, ferroviários e sabespianos adiam greve para próxima semana

Em campanha salarial unificada, trabalhadores da Companhia do Metrô, da Sabesp e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, decidiram adiar a greve programada para esta terça-feira (28), em São Paulo.

As três categorias rejeitaram as propostas feitas pelas empresas, mas votaram pela continuidade das mobilizações até a nova audiência.

Metroviários

Segundo o presidente da CTB São Paulo, Onofre Gonçalves, que acompanhou a assembleia desta segunda (27), na sede do Sindicato do Metroviários, a empresa fez uma proposta que não atende a categoria. “A CTB avalia que a proposta é muito ruim. Uma proposta de 6, 42% é muito abaixo do esperado. Transportamos cerca de 4,5 milhões de usuários por dia, sem novas contratações e sem novos benefícios.”

O Metrô propôs um reajuste salarial de 6,42%; reajuste de 11,51% para o vale-refeição e de 13,62% para vale-alimentação e um aumento de 6,42% para adicional de motorista. Também prometeu implantar em 1º de junho de 2013 o divisor 200 para jornada de trabalho de 40 horas e participação nos lucros condicionada ao percentual de alcance de metas.

Sobre o plano de carreira, a empresa “se dispõe a estudar alternativas para a redução do tempo de progressão salarial nas faixas salariais”. E ainda depende da “disponibilidade financeira da empresa mediante autorização do Codec”. Já em relação à jornada de trabalho, a empresa afirmou que só aceita discutir depois de fechado o Acordo Coletivo 2013/2014.

Para Onofre, outras bandeiras consideradas prioritárias para a categoria não estão sendo atendidas, como a redução da jornada de trabalho, o plano de carreira e a participação nos resultados.

Os metroviários reivindicam reposição salarial de 7,30%, aumento real de 14,16%, reajuste de 24,3% no vale-refeição, aumento do vale-alimentação para R$ 382,71, equiparação salarial (trabalho igual, salário igual), Participação nos Resultados (PR) igualitária sem imposição de metas, fim da terceirização e reintegração de demitidos na greve de 2007 e plano de carreira efetivo, jornada de 36 horas semanais, progressão salarial (redução do tempo para mudança de faixa salarial) e periculosidade (30%) para OTM1 e Técnicos de Segurança Patrimonial (agora chamados de Assistentes Administrativos 6 – ADM6).

“Resolvemos não aceitar a proposta. O Metrô sinalizou melhorar essa proposta e os companheiros acharam por bem adiar um pouco a greve para segunda. A CTB acompanha e apoia a categoria nessa luta. Nos colocamos à disposição para conversar com o governo do estado e com a empresa.”

CPTM

Assim como os metroviários, os funcionários de quatro linhas da CPTM também decidiram adiar a greve. A decisão foi tomada em assembleia realizada na frente da Estação Brás, na região central, por volta das 20h40.

Foi marcada uma audiência de conciliação com a CPTM para as 14 horas desta terça-feira (28). Essa entidade representa as Linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda.

Também participará dessa reunião o Sindicato dos Ferroviários da Central do Brasil, que igualmente sinalizava com a possibilidade de interrupção das Linhas 11-Coral e 12-Safira da CPTM. Na segunda (3), a CPTM deverá apresentar uma nova proposta para a categoria, que, no mesmo dia, avaliará se a aceita ou não.

A categoria pede a reabertura das negociações com a CPTM, reposição da inflação e aumento real de 5%. Além disso, os funcionários querem vale-refeição de R$ 25 e um vale-alimentação. O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias de São Paulo, que representa os empregados das Linhas 7-Rubi e 10-Turquesa, já havia fechado acordo com a CPTM na semana passada. Portanto, não haverá greve nesses ramais.

Sabesp

sintaema assembleia

Já os trabalhadores da Sabesp, que lotaram a quadra do Sintaema (Sindicato de Água, Esgoto e Meio Ambiente), decidiram aguardar a audiência que será realizada entre o sindicato e a Sabesp no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), na próxima segunda-feira (03), às 14h.

Nesta mesma data será realizada uma nova assembleia, a partir das 18h, para avaliar o resultado da audiência.Caso não haja avanços, os trabalhadores da Sabesp promoetem dar início a uma paralisação também na terça-feira (04), assim como os metroviários e ferroviários.

Portal CTB com agências e sindicatos

Compartilhar: