Mais de 9% da população da cidade de São Paulo vive em favelas

SAO PAULO, SP, BRASIL, 03-04-2008, DESIGUALDADE SOCIAL - Vista da favela de Paraisopolis, na zona sul de Sao Paulo, com predios de alto padrao do bairro do Morumbi ao fundo. (Foto: Apu Gomes)

De acordo com o Mapa da Desigualdade, lançado esta semana pela Rede Nossa São Paulo, 9,4% da população da cidade de São Paulo vive em favelas.

Entre os 96 distritos da capital paulista, apenas dez não têm famílias residentes em moradias sem infraestrutura e segurança jurídica. Os maiores volumes são na Vila Andrade, na zona sul (32,7%), e Brasilândia, na zona norte (25,1%).

Além da habitação, a pesquisa compara diversos aspectos da qualidade de vida. Dessa forma, no transporte, o deslocamento nos horários de pico variou de 73 minutos no Marsilac (extremo sul), até 25 minutos em Pinheiros (oeste).

Em relação à saúde, a idade média de mortes varia 20 anos entre o distrito do Jardim Paulista (80) e o Iguatemi (59,3).

Já as mortes por ação policial chegam a 8,1 para cada 100 mil habitantes no Brás (centro), 7,9 em Marsilac e 7,5 na Sé (centro). Por outro lado, o Bom Retiro (centro) não tem nenhum registro e o Itaim Bibi (oeste) apenas 0,3.

Por fim, referente à cultura, a República conta com 14,5 espaços públicos para cada 100 mil habitantes. O Butantã (oeste) conta com 11,2, mesmo número da Sé. Outros 19 distritos não têm nenhum centro, biblioteca ou teatro públicos. Entre eles, a Vila Sônia (oeste), a Vila Medeiros (norte) e Marsilac. Com informações da Agência Brasil.

Compartilhar: