Hydro Alunorte aposta no rebaixamento das negociações salariais 2019

SindiQuímicos fala com os trabalhadores.

SindiQuímicos fala com os trabalhadores.

A empresa norueguesa Hydro Alunorte, na campanha salarial 2019, aposta no fracasso, na desmobilização e no rebaixamento das negociações com SindiQuímicos, em Barcarena no Pará. É assim que ela trata o apoio e a dedicação da categoria na defesa do pleno funcionamento da empresa nos últimos anos, furto de ampla mobilização do Sindicato e dos trabalhadores e trabalhadoras, hoje a empresa funciona em 100% de sua capacidade.

A empresa acabou de abandonar a mesa de negociação, na reunião realizada hoje (19), na sede do Sindicato, com total desrespeito com os trabalhadores da Alunorte. A empresa manteve a mesma proposta apresentada anteriormente, e rejeitada por mais de 60% da categoria, alegando que não tem condição de dar mais nada para o trabalhador nas questões econômicas. É um total desprezo com os trabalhadores.

Gilvandro Santa Brígida, presidente do Sindicato, lembrou que 61% dos 2.100 trabalhadores disseram não essa proposta, e que é hora de muita unidade para garantir uma vitória com reajuste e conquistas na negociação. Que a categoria merece, “por tudo que passamos, por tudo que nós construímos durante esse ano e, principalmente, pela luta de cara trabalhadora e trabalhador para o pleno funcionamento da empresa, nós merecemos e teremos as conquistas almejadas”.

O Sindicato dos Químicos de Barcarena e a CTB Pará, seguem confiantes na mobilização e na capacidade de luta da categoria para garantir uma boa negociação nesta campanha salarial. Na semana passada os dirigentes sindicais estiveram na Procuradoria-Geral do Ministério Público do Trabalho, em Belém, para tratar da mediação. E o Dr Roberto Ruy Rutowitcz Netto, Procurador Regional do Trabalho, está com o processo de mediação para conduzir os trabalhos entre empresa e sindicato.

Para Gilvandro, segue a pauta de reajuste de 5% no salário, com um ganho real de mais ou menos 1,8%, ticket alimentação de R$ 800,00 e nas cláusulas do material escolar e subsídio o Sindicato defende o INPC, bem como o abono de R$2.300,00. Reafirma “a vitória será da força dos trabalhadores e do Sindicato, seguiremos lutando e defendendo nossos direitos e interesses”.

O Sindicato alerta que gerentes e encarregados estão ameaçando os trabalhadores com suspensão do plano de saúde, de corte no ticket alimentação e outras vantagens. É o desespero total da empresa. Vamos manter a categoria mobilizada e unida para garantir a vitória. Qualquer dúvida, procure e denuncie ao sindicato.

Compartilhar: