Encontro Regional da FEC-BA mobiliza lideranças sindicais em Salvador

No último final de semana (31 de maio e 01 de junho) a Federação dos Comerciários da Bahia (FEC-BA), em parceria com a CTB, realizou o 1º Encontro Regional dos Comerciários da FEC-BA/CTB.  O Encontro teve como objetivo discutir o crescimento, a geração de emprego e renda no comércio com organização. O evento aconteceu no Hotel Vilamar e contou com a participação de delegados de 16 municípios e de lideres sindicais de outros estados.

De acordo com o diretor do Sindicato dos Comerciários e vereador de Itabuna, Jairo Araujo, desde a fundação da FEC, em 2010, essa foi umas das melhores ações da instituição, que mesmo antes de obter o registro definitivo, tem se afirmado enquanto representação de diversos sindicatos. “Esse encontro serviu para passarmos a nossa organização a limpo, melhorarmos nossa articulação política e a nossa participação dentro da CTB,” destacou.

No primeiro dia do encontro, os palestrantes fizeram uma breve introdução sobre o tema central do seminário (“valorização do trabalho com crescimento e organização”), e parabenizaram o presidente da FEC, Reginaldo Oliveira, pela luta na consolidação de melhorias nas condições de trabalho dos comerciários. “O elemento central que faz parte do nosso desenvolvimento é continuar lutando contra o capitalismo explorador de pessoas”, destacou o deputado federal Daniel Almeida.

De acordo com o presidente da entidade, o encontro serviu para ampliar o campo de visão dos comerciários e destacou a necessidade de estender os encontros para outros municípios. “Precisamos fazer no mínimo cinco encontros como esse em outras regiões para vivenciarmos a realidade e peculiaridade de cada sindicato”.

Núcleo nacional

A necessidade da criação de um núcleo nacional dos comerciários da CTB e a organização da categoria liderou o debate no segundo dia do Encontro. “Precisamos criar um espaço organizado que possa fazer frente às mudanças que vêm ocorrendo no país, principalmente com a chegada das grandes empresas estrangeiras”, disse Reginaldo Oliveira. De acordo com ele, esse espaço vai ajudar a organizar a categoria.

fec-bahia encontro2
Já o secretário nacional da CTB, Aurino Pedroso, falou sobre os desafios de organizar os comerciários, já que é uma categoria com vários perfis e em constante rotatividade. O dirigente destacou a importância de se criar um modelo organizativo que englobe a categoria e apontou a importância dos sindicatos terem um trabalho de base dentro dos estabelecimentos para que possam compreender as subjetividades da relação entre trabalhador e empresa. “Se o movimento sindical não se atentar para a subjetividade do trabalhador no que diz respeito às formas como as relações entre trabalhador e empregador se dão, principalmente com os processos de terceirizações, ele não vai conseguir organizar e mobilizar as massas”, destacou.

Juventude e mulheres

O papel da juventude e das mulheres no novo ciclo de desenvolvimento no Brasil também foi assunto do seminário. De acordo com dados do Dieese, o jovem representa cerca de 80% dos trabalhadores comerciários de Salvador e a mulher 52%.  A mesa temática para debater o assunto foi composta por Alfredo Santiago, diretor do Sindcom, Augusto Vasconcelos, vice-presidente do Sindicato dos Bancários, Rosa Souza e Fátima Almeida da União Brasileira de Mulheres (UBM).

Apesar do grande percentual, esses profissionais atuam em um ambiente de trabalho precário, com situações que interferem no crescimento pessoal e profissional.  Segundo Augusto Vasconcelos, que apresentou um panorama da situação desse grupo no país, “devido à extensa carga horária de trabalho os jovens e as mulheres têm dificuldades para frequentar cursos superiores”.

Contudo, apesar das dificuldades, Vasconcelos, destacou a conquista de melhorias no setor na última década. “Vivenciamos uma situação de empregabilidade muito melhor do que a que existia nos anos 90”.  Já Fátima Almeida, enfatizou que “as diferenças salariais não devem ser pautadas por gênero, mas sim por atividade desenvolvida”.

Antonia Borges – FEC/BA

Compartilhar: