Ecetistas elegem a Chapa da CTB para comandar Sintect-SP

sintect vitoria peq

Terminou nesta sexta-feira (25), com a vitória da Chapa 3 – da CTB e comemoração nas ruas, a eleição para a nova diretoria do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares de São Paulo (Sintect-SP).

Com 55% dos votos válidos, a Chapa da CTB, que é encabeçada por Elias Cesário, o Diviza, atual presidente da entidade, manteve uma ampla margem das demais, que obtiveram 7% Chapa1, 26% Chapa 2 e 5% Chapa  4.

sintect vitoria4

Cerca de 6,6 mil ecetistas participaram do processo, iniciado na última terça-feira (22), com 105 urnas, que coletaram votos em cerca de 25 municípios da cidade.

Para Elias Cesário, o resultado reflete a aprovação da categoria ao trabalho realizado ao longo da última gestão. “A categoria reconheceu isso e nos elegeu confiando que vamos lutar por condições decentes de trabalho. Ao longo da última gestão demonstramos nosso amadurecimento. Eu estou muito feliz com o resultado e pela categoria ter nos escolhido mais uma vez”, destaca o presidente reeleito.

Opinião compartilhada pelo secretário geral do Sindicato, Ricardo Adriane, o Nego Peixe. “Esse é o reconhecimento por conta do trabalho que a atual diretoria tem feito. É claro que precisamos melhorar muito e avançar em algumas bandeiras de luta, mas a Chapa 3 mostrou a diferença. Fazemos o movimento sindical com consciência para alcançar mais conquistas. Por isso que nós fomos reeleitos para mais um mandato”, reforçou o sindicalista.

sintect jorge luizConfiança

O carteiro do Centro de Distribuição Domiciliar de Paraíso, Jorge Luís Toledo, que votou na Chapa 3 confirma essa situação.  “Eu votei na Chapa 3 em respeito ao trabalho realizado ao longo dos últimos 3 anos e pela confiança que tenho nos dirigentes. Estamos desiludidos com a empresa, que não se preocupa com nossa saúde ou segurança. Tem muito trabalhador de licença por causa dos assaltos”, destaca Jorge Luiz, que é casado e pai de três filhos.

Morador do bairro do Pirituba, Jorge Luiz, que trabalha há 18 anos como carteiro, faz um balanço positivo do último período. “Desde a última gestão conquistamos muito: aumento salarial, inclusão dos pais no convênio médico, contamos com assistência jurídica, ganhamos novas subsedes, inclusive uma no bairro de Santo Amaro inaugurada recentemente, entre outras”, defende o carteiro.

Responsabilidade

O Sintect-SP faz parte dos Sindicatos Unificados, que são filiados à Federação Interestadual de Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect), assim como os sindicatos de Bauru, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Tocantins e Rondônia.

O processo foi acompanhado e comemorado pelo presidente da entidade, José Aparecido Gimenes sintect vitoria gandaraGandara, que destacou a responsabilidade advinda com o resultado expressivo. “Essa vitória fortalece em nível nacional os trabalhadores dos Correios que fazem parte da Findect. A categoria e os sindicatos saem fortalecidos desse processo. Somos uma categoria que ao mesmo tempo tem que lutar para defender os trabalhadores e pelo fortalecimento da empresa, que é do povo brasileiro”, destaca o presidente da Findect.

Para o dirigente a vitória, no entanto, traz em seu bojo mais responsabilidades. “Vamos entrar em campanha salarial e uma vitória como essa nos fortalece na mesa de negociações. Porque no contexto geral, o Sintect-SP é um dos principais sindicatos pelo número de trabalhadores que representa, cerca de 22 mil, quase um quinto da categoria nacional, formada por 127 mil ecetistas. Então, o Sindicato junto com a Findect terá condições de avançar na pauta de reivindicações da categoria em âmbito nacional”, salienta Gandara.

sintect vitoria adilsonPara Adilson Araújo, presidente nacional da CTB, que acompanhou o processo eleitoral desde o início, o resultado reflete o comprometimento dos dirigentes cetebistas e de seus princípios classistas e de luta, alinhados com a Central. “É muito importante esse resultado para a CTB, que é a central que mais cresceu de acordo com aferição do Ministério do Trabalho, fruto de um trabalho ajustado, em sintonia com o cotidiano dos trabalhadores. Porque para o projeto de uma central sindical classista e de luta é preciso ter um sindicalismo audacioso com foco na organização sindical e numa perspectiva de atração. E isso o Sintect tem de sobra”, afirmou Adilson Araújo.

Segundo Araújo, atualmente a CTB conta com 1.121 entidades sindicais filiada na base e “ter esse Sindicato, que representa cerca de 70% da força postal é fundamental, pois cumpre um papel importante no debate do novo projeto de desenvolvimento nacional com valorização do trabalho”.  

O apoio da CTB em todo o processo não foi esquecido pelo presidente reeleito para comandar o Sintect por mais cinco anos. Diviza fez questão de destacar o papel desempenhado pela Central. “O papel da CTB nesse processo foi muito importante, tanto na parte política como na questão da logística e da militância. Algo fundamental para nossa vitória”, ressaltou.

Continuar avançando

Após o resultado expressivo os sindicalistas já começam a ser preparar para as próximas batalhas. Entre as bandeiras de luta da categoria está a questão da aposentadoria especial aos 25 anos para carteiros.

Através do deputado Delegado Protógenes (PCdoB-SP) foi elaborado o Projeto de Lei 307/308, que defende a aposentadoria especial para os trabalhadores expostos aos constantes assaltos e péssimas condições de saúde e trabalho.

sintect vitoria 5

Rogério Nunes, dirigente da CTB e Diviza, assinam ata da eleição

“Vamos encaminhar e articular esse PL para que seja aprovado o mais breve possível, para que esses trabalhadores tenham direito à aposentadoria especial e agradecer a confiação da categoria”, revelou Douglas Melo, secretário de Imprensa do Sindicato.

Confiança depositada pela ecetista Elma Gislene dos Santos. A funcionária, que trabalha na máquina de indução em pé há 10 anos, diz que acredita em grandes avanços para a próxima gestão. “Estamos com um problema sério no setor que reflete as péssimas condições de trabalho. A empresa não reforma as máquinas, trabalhamos praticamente abaixados pegando encomendas para colocar na esteira. Mas eu confio na Chapa 3 para mudar essa situação”, revela a ecetistas, que listou os inúmeros problemas que fazem parte do seu cotidiano profissional. “Cresceu a demanda e não cresceu os CTEs, que é onde fazem a distribuição”, reafirma.

Para Diviza a partir de agora será o momento de focar na defesa dos direitos dos trabalhadores e dar continuidade aos projetos iniciados. “A categoria pode confiar que vamos dar continuidade ao bom trabalho que vínhamos fazendo. Agora vamos à luta pela aposentadoria especial para os ecetistas e por melhores condições de trabalho”, destaca o sindicalista.

Cinthia Ribas – Portal CTB

Compartilhar: