CTB-MG debate unicidade e fortalecimento sindical em reunião da direção plena

A CTB Minas Gerais, realizou nos dias 18 e 19, no auditório do Sindicato dos Professores (Sinpro Minas), no Centro de Belo Horizonte, uma encontro da diretoria plena, que debateu temas de grande importância para o movimento sindical na atualidade, como a unicidade e a contribuição sindical.

O encontro contou com a presença do presidente nacional da CTB, Wagner Gomes; do presidente da CTB Minas, Gilson Reis; e de dirigentes de todo o Estado. Na oportunidade, Wagner Gomes anunciou que a CTB aumentou em 50% sua influência no País no último período, passando a representar 9% do total de trabalhadores sindicalizados – antes o percentual era de 6%. “Para uma central com pouco mais de quatro anos de existência, é um feito extraordinário”, comemorou.
O presidente nacional da CTB também falou dos desafios a serem enfrentados este ano. Segundo ele, os principais são a luta em defesa da produção e do emprego e as eleições municipais.
“Temos que intensificar a luta por mudanças na política econômica e pelo desenvolvimento da indústria brasileira e, ao mesmo tempo, eleger pessoas comprometidas com os interesses dos trabalhadores”, afirmou Wagner Gomes.
ctb_minas_wagner2
A defesa da unicidade e da contribuição também é outro desafio a ser enfrentado com afinco pelos dirigentes da CTB, disse Wagner Gomes. Para ele, a unicidade e a contribuição sindical são fundamentais para a sobrevivência e sustentabilidade do movimento sindical.
A análise das conjunturas internacional e de Minas Gerais foi feita pelo presidente da CTB Minas. Sobre a situação do Estado, Gilson Reis disse que, desde o início do mandato, o governador Antonio Anastasia tem feito apenas resolver os problemas deixados pelo seu antecessor, Aécio Neves. Para tanto, tem diminuído consideravelmente os investimentos na Saúde, Educação e na Segurança Pública.
Gilson Reis também citou os principais eventos promovidos pela CTB Minas este ano, como o Grito de Alerta em Defesa da Produção e do Emprego, com manifestação em frente ao Banco Central e debate sobre a desindustrialização na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, na capital; as comemorações do Dia do Trabalhador em várias cidades do Estado, com destaque para a grande festa realizada em Betim; e a inauguração da nova sede da CTB Minas, mais ampla e confortável.
O presidente da CTB Minas também lamentou as mortes dos trabalhadores Claudiomar Custódio da Silva, 41 anos,  ex-diretor do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Fogos de Santo Antônio do Monte (Sindifogos), e André Luiz da Silva, 37 anos, ocorridas em uma fábrica de fogos em Santo Antônio do Monte, no dia 8.
Para evitar que mais trabalhadores sejam vítimas de tragédias no trabalho, ele informou que a CTB Minas cobrou providências às autoridades e sugeriu a formação de uma força tarefa, com a participação do movimento sindical, para investigar os acidentes e adotar medidas preventivas. Em homenagem aos trabalhadores mortos, foi feito um minuto de silêncio.

A direção da CTB também apresentou um balanço da central nos últimos meses, nas áreas da saúde, comunicação, formação e finanças, e deliberou sobre a realização de uma série de atividades para os próximos meses, tais como:

– Apoiar as candidaturas, nas eleições de 2012, de companheiros e companheiras candidatos a vereadores e prefeitos comprometidos com as causas dos trabalhadores;

– Promover um seminário, em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), sobre regulamentação do artigo 8º da Constituição Federal;

– Promover debates e atos públicos regionalizados sobre a unicidade sindical, contribuição sindical e a Convenção 87 da Organização Internacional do Trabalho (OIT);- Filiar ao menos 50 sindicatos legalizados até o final de 2012;

– Preparar um grande Encontro da CTB Minas no ano de 2013;- Organizar um curso de formação de formadores em Minas Gerais com objetivo de criar coletivos regionais de formação;

– Realizar reuniões itinerantes da diretoria plena em Minas Gerais;

– Promover uma campanha pela ratificação da Convenção 151 da OIT e debater as principais bandeiras dos servidores públicos.

Dirigentes sindicais de entidades filiadas à CTB Minas e militantes de diversas regiões do Estado participaram da reunião, que também contou a presença do presidente nacional da entidade, Wagner Gomes, e do presidente da seção estadual, Gilson Reis, entre outros.

Veja a opinião de alguns dirigentes sindicais que participaram do encontro da CTB Minas:

Joaquim Júlio de Almeida, presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção e do Mobiliário de Passos e Região: “Foi muito importante participar deste encontro pela riqueza de informações que obtive. Geralmente, nós do interior ficamos mais afastados e quando as informações chegam, costumam estar defasadas. Proponho à CTB que realize mais reuniões como esta em espaços de tempo mais curtos, pois o caminho é este. Parabéns à diretoria da CTB Minas por esta iniciativa”.

Maria Cosme e Damião da Rocha, presidenta do Sindicato dos Trabalhadores Domésticos de Ponte Nova e Vale do Piranga: “É muito importante encontros como este, principalmente para nós dirigentes sindicais, pois nos ajuda a compreender muitas coisas e nos possibilita tirar muitas dúvidas. Valeu a pena sair de Ponte Nova para assistir a esse debate. No dia 26 de junho, nosso sindicato completará 20 anos de fundação. Saio daqui mais fortalecida para continuar a luta em defesa dos trabalhadores”.

Leandro Carneiro Batista, dirigente do SAAE-MG em Varginha: “Para nós da CTB, esta reunião é muito importante, principalmente neste momento político e sindical porque passa o País. Este debate fortalece a cada um de nós e a nossa luta. É preciso mostrar a realidade e a importância da unicidade e do imposto sindical para a classe trabalhadora.Esta campanha ferrenha da CUT para acabar com a unicidade e com o imposto sindical poderá acabar como movimento sindical. E quem vai ganhar com isso, obviamente, são os patrões e os grandes empresários. Por isso, é fundamental para nós, sindicalistas filiados à CTB, termos um norte e caminharmos juntos em defesa da unicidade e do imposto sindical. Encontros como estes nos possibilita afinar o discurso, obter informações para caminharmos no rumo único e fortalecer o pensamento classista. A CTB é uma central classista e plural que tem lado. E nosso lado é o do trabalhador, diferentemente de outras centrais que existem por aí”.

Adislau Leite da Silva, presidente do Sindicato dos Educadores do Município de Uberaba (Sindemu): “Esse encontro teve uma importância ímpar e foi muito gratificante. Aprendi muito com os companheiros e, naturalmente, vou levar esse aprendizado e as informações obtidas para a base. Uberaba é uma cidade de médio porte, mas, infelizmente, o movimento sindical esteve por muito tempo adormecido, assim como em toda a região. Nosso sindicato também é novo, tem apenas seis anos, mas estamos caminhando no rumo certo. Há dois meses, aprovamos em assembleia a filiação do nosso sindicato à CTB, que há três anos vinha nos dando todo o apoio, independentemente de filiação. Nesses anos, nenhuma outra central se aproximou do nosso sindicato. E a CTB não só se aproximou, como nos deu uma ajuda muito significativa”.

Vicente Cordeiro de Souza, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Capelinha (Sincerca): “Participo da CTB desde a sua fundação. Agora, nos preparamos para colocar em votação a filiação do nosso sindicato à central. A possibilidade de filiação à entidade é grande, pois hoje a diretoria do sindicato está mais consciente. Atualmente, a entidade não está filiada a nenhuma central sindical. Mas consideramos importante filiarmos à CTB porque é uma central nova, com propósito bastante adequado ao que a gente pensa sobre sindicalismo, que vem nos ajudando mesmo não estando filiado”.

José Carlos Maia, presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Governador Valadares (Sinsem-GV): “Sempre que possível, a direção do nosso sindicato tem participado de encontros estaduais e nacionais como este, para levar aprendizado à categoria. Sabemos dos nossos problemas e das nossas dificuldades, mas compartilhando com outros sindicatos constatamos que o que acontece em nossa cidade e na nossa região é comum em outros municípios e regiões do Estado. Por isso, considero importantíssimo participar desses encontros promovidos pela CTB. Esta reunião do Pleno, por exemplo, proporcionou um aprendizado muito grande para nós, dirigentes sindicais. A CTB defende a unicidade sindical e essa é uma bandeira que o Sinsem-GV sindicato acompanha e está na luta junto com a CTB”.

Texto e fotos: Eliezer Dias

Compartilhar: