A aula nesta quinta (30) é de cidadania e nas ruas de Serra, no Espírito Santo

Os educadores da rede municipal de ensino de Serra, no Espírito Santo paralisaram totalmente as atividades nesta quinta-feira (30) como parte da 16ª Semana em Defesa da Educação Pública. Centenas de professoras e professores foram para as ruas dar aula de cidadania e explicar para a população as suas reivindicações. “Cruzamos os braços hoje para defender mais respeito aos trabalhadores da educação e mais investimentos no setor”, reitera Josandra Rupf, dirigente da CTB-ES e do Sindicatos dos Trabalhadores em Educação Pública no Estado do Espírito Santo.

Cerca de 150 educadores fizeram manifestação em frente à UCL (Universidade do Centro Leste), onde ocorreu a posse do Fórum Municipal de Educação de Serra, ao qual o prefeito Audifax Barcelos não compareceu por ter contraído uma virose, informou prontamente sua assessoria. Lúcia Duarte, dirigente da Federação das Associações de Moradores de Serra e da CTB-ES, acrescenta que “estamos protestando contra as condições precárias a falta de material pedagógico nas unidades de ensino, além de número elevados de alunos por sala de aula”. De acordo com Lúcia, os profissionais da educação básica de município reivindicam o cumprimento da lei federal 11.738/2008, que determina que 1/3 da jornada das professoras seja destinado para o planejamento.

ctb es pl4330CTB-ES esteve na Assembleia Legislativa contra PL 4330 na quarta

Josandra reclama também que os salários dos trabalhadores em educação de Serra estão defasados em pelo menos 31% como atesta o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). “Paramos também pela rejeição do projeto de lei 4330. Queremos que nossos direitos aperfeiçoados e não aceitamos nenhum retrocesso”, sinaliza a sindicalista capixaba. 

Na quarta-feira (29) dirigentes das centrais sindicais foram à Assembleia Legislativa, na capital Vitória, para participar de uma sessão especial sobre o projeto de lei 4330, que escancara a terceirização. “Não descansaremos enquanto esse projeto não for arquivado. Nenhuma direito a menos para a classe trabalhadora”, enfatiza Jonas Rodrigues de Paula, presidente da CTB-ES. Jonas mencionou na Assembleia a Greve Nacional da Educação Básica programada para esta quinta e reivindicou mais valorização para esta “área estratégica para o desenvolvimento do país”.

Por Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB

Compartilhar: