No total, 27 mi vivem com menos de um salário

Há alguns anos, milhões de brasileiros sentem os reflexos causados pela crise econômica e política do país. Situação agravada com o governo Bolsonaro e a imposição de uma agenda ultraliberal, incapaz de reduzir o desemprego e que aumenta a precarização do trabalho.

Não é à toa que a informalidade dispara, atingindo 38,4 milhões de pessoas. Consequentemente, aumenta também o número de brasileiros que vivem com menos de um salário mínimo. No trimestre encerrado em setembro de 2019 eram 27,3 milhões, segundo dados da Pnda (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios).

O número representa um terço do total dos trabalhadores do país que precisam “se virar nos 30” para pagar as contas de água, luz, transporte, colocar comida na mesa. Isso quando não mora de aluguel. 

O reajuste do salário mínimo fixado em R$ 1.045,00 a partir do dia 1º de fevereiro não resolve o problema. Estimativa do Dieese aponta. O valor ideal para sustentar uma família de quatro pessoas é de R$ 4.342,57. Bem distante da atual realidade. 

Via Sindicato dos Bancários da Bahia

Compartilhar: