Lucro de R$ 60 bilhões das empresas estatais mostra eficiência

As empresas estatais dão excelentes resultados para o país. As principais instituições tiveram lucro de R$ 60,7 bilhões no primeiro semestre de 2019. O balanço parcial do ano derruba qualquer tese de que as empresas são ineficientes e devem ser privatizadas, como tenta fazer a todo custo o governo Bolsonaro.

Estão na lista Caixa, Banco do Brasil, Petrobras, Eletrobras e BNDES. Juntas, elas respondem por 95% do total do lucro das estatais federais. Importante destacar que as instituições atuam para melhorar o bem estar da população. Sem as empresas públicas, o Brasil fica impossibilitado de superar crises econômicas. O BB e a Caixa, por exemplo, são responsáveis por conceder crédito agrícola e imobiliário mais acessíveis do que os bancos privados em um mercado extremamente concentrado e caro.          

Portanto, reduzi-las para privatizar não é o caminho certo para o país voltar a crescer. No caso da Caixa, a Lotex está na lista de privatizações como parte do PPI (Programa de Parceria e Investimentos). O leilão para venda já foi agendado sete vezes desde o governo Temer. A mais nova data é 22 de outubro.

Detalhe: a Caixa registrou lucro de R$ 8,1 bilhões no primeiro semestre. Mesmo assim, além das loterias instantâneas outras partes rentáveis da instituição financeira estão sendo preparadas para a venda, como a gestão de ativos, seguros e Caixa Cartões.

O balanço do Banco do Brasil também foi extraordinário, R$ 8,679 bilhões no semestre. Mas, a instituição está se desfazendo de ativos, como a BB-DTVM,  o braço do BB para gestão de recursos.

Também passando por um processo de fatiamento, a Petrobras lucrou R$ 22,9 bilhões no primeiro semestre, mas teve 90% da subsidiária TAG (Transportadora Associada de Gás) vendida por US$ 8 bilhões para um grupo de estrangeiros. O BB quer desfazer dos ativos, mesmo apresentando lucro de R$ 8,679 bilhões em seis meses. Somente nos primeiros seis meses do ano, a Eletrobrás lucrou R$ 6,9 bilhões registrando um aumento de 272% em relação ao R$ 1,8 bilhão do mesmo período de 2018. Já o BNDES obteve rendimento de R$ 13,8 bilhões no primeiro semestre deste ano, resultado que representa crescimento de 190%.

Compartilhar: