Bolsonaro corta leite de crianças pobres

Por Altamiro Borges

A crueldade do “capetão” não tem limites. Diante dos holofotes, Jair Bolsonaro bravateia sobre o Auxílio Brasil e outras bondades eleitoreiras, um autêntico estelionato previsto para terminar após as eleições. Já nos bastidores, nas trevas, a equipe econômica do fascista segue promovendo maldades.

Nesta semana, veio à tona a denúncia de que seu governo cortou drasticamente o leite das crianças pobres. Reportagem de Carlos Madeiro, no site UOL, revelou que entre janeiro e agosto deste ano, o total de litros distribuídos nos nove estados do Nordeste e em Minas Gerais caiu 87% em relação a 2021. Nessa área estão 11 das 20 milhões de famílias que recebem o Auxílio Brasil.

Em 2021, foram quase 29 milhões de litros distribuídos de janeiro a agosto, frente a 2,1 milhões neste ano. Neste mesmo período, a fome pulou de 19 milhões para 33 milhões de brasileiros e a carestia, inclusive do preço do leite, explodiu – o que só evidencia o genocídio perpetuado pelo “capetão”.

Como enfatiza Leonardo Sakamoto, também no UOL, “o governo Jair Bolsonaro conseguiu tirar o leite das crianças pobres de duas formas em 2022: viu o produto acumular alta de mais de 50% e, ao invés de aumentar a sua doação para minimizar o estrago, fez exatamente o contrário. Neste ano, a entrega gratuita de leite às famílias em extrema pobreza no Nordeste e Minas Gerais foi reduzida em 87%”.

Ilstração: Reprodução da internet

Compartilhar: