1,19 milhão de postos de trabalho com carteira assinada foram destruídos no primeiro semestre

Números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta terça-feira (28) pelo Ministério da Justiça indicam que foram fechadas 1,19 milhão vagas de trabalho formal (com carteira assinada) no primeiro semestre de 2020 em nosso país.

Considerando exclusivamente o mês de junho, 10,9 mil vagas foram fechadas, em contraposição aos que consideram que a crise já acabou. Em maio, haviam sido 350 mil. Para secretário do Ministério da Economia, dados indicam retomada da economia.

Os dados mostram que a classe trabalhadora continua sendo, de longe, a principal vítima da crise sanitária e econômica que castiga o Brasil, agravada pelas políticas do governo Bolsonaro.

Mas o facão do desemprego não corta cabeças apenas no mercado formal. É ainda maior entre trabalhadores e trabalhadoras constrangidos à informalidade, trabalhando sem carteira assinada ou por conta própria. Ao todo são mais de 30 milhões de pessoas no desemprego involuntário, a julgar pelo IBGE. Um atestado da falência das políticas inspiradas no neoliberalismo.

Se inscreva no nosso canal no YouTube /TVClassista

Compartilhar: