Trago Comigo aborda as relações humanas e as cicatrizes deixadas pelos porões da ditadura

A telona do cinema se enche de sentimentos e razões com esta nova obra de Tata Amaral. Com ótima direção, roteiro, elenco, fotografia, enfim tudo o que define a qualidade de um filme, “Trago Comigo”, aborda as muitas heranças que carregamos dentro de nós e vai além. Com a magia do teatro, da arte, da cultura e do cinema, Tata Amaral mostra a dificuldade que as novas gerações têm em compreender o passado recente da ditadura fascista (1964-1985).

Sem ser pesado, o filme revela o drama vivido pelos sobreviventes à tortura e a dor que carregam com a impunidade e a falta de reconhecimento de uma sociedade que negligencia seu próprio passado.

A trama retrata a montagem de uma peça de teatro (que narra a vida do diretor, interpretado por Carlos Alberto Riccelli) e as dificuldades do elenco em entender o enfrentamento à ditadura. Ao longo dos trabalhos, os atores vão adquirindo consciência.

“Trago Comigo” aborda com rara felicidade as relações humanas, reveladas sem máscara e com muita magia. É uma das boas surpresas do ano, e já nasce um clássico da cinematografia nacional.

Assista trailer do filme

 

Serviço:

“Trago Comigo”

Direção: Tata Amaral

Roteiro: Willem Dias e Thiago Dottori

Elenco: Carlos Alberto Riccelli, Felipe Rocha, Georgina Castro, Emílio Di Biasi, Selma Egrei, Maria Helena Chira

Em cartaz

Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy, publicado originalmente no jornal “Olho Crítico” número 15, de julho/2016

 

Compartilhar: