Regina Duarte sai da Secretaria de Cultura ainda menor do que entrou

A atriz Regina Duarte foi, enfim, defenestrada do cargo de secretária da Cultura, para a qual fora conduzida alguns dias atrás pelo presidente Jair Bolsonaro. A “queridinha do Brasil” já estava em rota de colisão com os artistas por suas posições políticas reacionárias, mas saiu ainda menor do que entrou no governo da extrema direita. Sua breve estadia em Brasília foi lastimável.

Nesta quarta-feira (20), o presidente Jair Bolsonaro anunciou que a atriz deixa o cargo e passa a assumir a Cinemateca Brasileira, em São Paulo. Ela fez toda uma encenação ao lado do presidente para fazer a plateia crer que saiu por razões familiares, mas seu teatro não foi convincente.

Na realidade, Regina Duarte foi demitida por não atender plenamente os desejos sórdidos e alucinados da dita ala ideológica do governo, capitaneada pelo filósofo de orifícios Olavo de Carvalho.

A repercussão no meio artístico e político diz muito sobre a queridinha do Bolsonaro. Confira algumas reações:

Fernanda Paes Leme, atriz: “Regina deixou de ser o que nunca foi.”

Zélia Duncan, cantora: Como secretária, ela sentia falta de colaborar com o governo? Mas não fazendo nada e ainda agredindo a classe artística, ela estava cumprindo todas as suas funções e ainda mandava beijos pra ditadura…ela é perfeita para o cargo de nos destruir.

Beto Silva, ator e humorista: Regina Duarte saiu ( ou foi saída)  da secr de cultura e foi para a Cinemateca de SP. E o primeiro filme que ela vai passar é : a- Noivo neurótico, noiva nervosa; b- Meu malvado favorito; c- O exterminador do futuro; Dê a sua sugestão.

Samia Bomfim, deputada federal (PSOL-SP): “A desastrosa gestão de Regina Duarte será lembrada pelo desrespeito à classe artística. A atriz nada fez pelos milhares de trabalhadores da cultura em dificuldade, pelo contrário. Assim como Bolsonaro, minimizou a pandemia e insultou o povo com saudosismo da ditadura. Foi tarde.”

Nelson Pelegrino, deputado federal (PT-BA): “A lembrança da passagem de Regina Duarte pelo ministério da cultura será aquela entrevista vergonhosa a CNN, para se segurar no cargo e agradar o Bozo, defendendo a ditadura e tortura! Vergonha.”

Com informações do G1

Compartilhar: