O Sertanista Marechal Rondon

 

A pedido de amigos
Resolvi homenagear hoje , um Marechal.
Cândido Mariano da Silva Rondon
Desbravador sem igual
Professor e escritor
Era um homem genial.

O Marechal Rondon
Foi um grande magistral
Deu relevantes contribuições
Para o desenvolvimento nacional
Foi um bravo sertanista
De nosso país uma reserva moral.

Integrar a região Oeste do Brasil
Era sua dedicação
Integrou Porto Velho , Cuibá , Corumbá ao país.
Na Amazônia foi pioneiro na comunicação
Sua luta foi determinante
Pra o povoamento deste sertão.

Nas selvas da Amazônia
Deu grandes contribuições para o estudo da região
Fez levantamentos: cartográfico, topográfico e botânico
Zoológico , etnográfico e linguístico , era um homem de muita ação
Ergueram as linhas telegráficas
Rondon e sua comissão.

O Marechal Rondon
Participou do movimento abolicionista
Foi defensor implacável do ideário republicano
Era também um grandioso indigenista
Defensor dos povos indígenas
Era um homem progressista.

Filho ilustre
Mato Grosso seu Estado
Protagonista do Sertanismo
Do país um homem dedicado
Pelo povo de Rondônia
Hoje é um homem referenciado.

O nosso Estado deve homenagens
A esse grande Marechal
Parte de nossa história
Foi construída por Rondon e seu pessoal
Deve ser estudado
O seu legado servir de referencial.

O Brasil é um país
De extensão continental
Graças a comissão de Rondon
Formou-se a integração regional
Hoje somos cobiçados
Pelo imperialismo internacional.

Rondon era um homem
De pensamento libertador
“Matar nunca,
Morrer se preciso for.”
Deparava o sertanista
Na Amazônia , seu humanismo com fervor.

Impulsionou o pensamento
Do Coronel Aluízio Ferreira
Um grande homem
Da região do Vale do Madeira
Pela criação do território Federal do Guaporé
Foi ele quem ergueu essa bandeira.

Não podemos negar a história
Desse grande brasileiro
É impossível pensar Rondônia
Sem falar desse grande pioneiro
Rondon é um exemplo vivo
Na formação desse povo guerreiro.

Obrigado meus amigos
Leitores que fazem sugestão
Estudo diariamente
Pra fazer cordel com a razão
Pra homenagear grandes atores
Que fizeram ou fazem , a história desta grande nação.

Fonte: Francisco Batista Pantera, Professor, Jornalista, Poeta e Presidente da CTB-RO

Compartilhar:

Conteúdo Relacionado

Livro relata a dedicação de Wilson Furtado pela classe trabalhadora no Brasil

 

O vereador de Salvador, Everaldo Augusto, do PCdoB-BA, publicou neste ano a biografia de um importante sindicalista comunista da Bahia. Trata-se do livro Semeador de Liberdade: Wilson Furtado, Vida e Luta, que apresenta a saga desse herói nacional anônimo com há muitos pelo país afora. Essa biografia mostra porque a CTB é a maior central sindical da Bahia, pois nasceu das lutas dos trabalhadores e trabalhadoras e Wilson tem muita importância no desencadear das lutas dos trabalhadores rurais no estado.  

O sindicalista e militante comunista fundou e presidiu o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Correntina, no sertão baiano, para organizar a luta contra os desmandos dos latifundiários. Dessa forma, viu-se ameaçado de morte como muitos líderes camponeses na história brasileira. Wilson também foi dirigente destacado da Federação dos Trabalhadores na Agricultura da Bahia (Fetag-BA) e dirigente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag).

“Ele não perdia o foco da grande política, não perdia tempo com brigas menores. Nisso ele se diferenciava dos demais dirigentes sindicais rurais, mesmo os da igreja que participavam de cursos e mais cursos de formação”, reforça Claudio Bastos, presidente da Fetag-BA.

Wilson Furtado nasceu no interior de São Paulo e veio morar na capital tornando-se líder operário importante. Por isso, na época em que o PCdoB articulava a Guerrilha do Araguaia ele foi destacado para o sertão baiano para fazer levantamento topográfico da região e conhecer as pessoas do local. Como importante quadro do partido ele “foi  deslocado para os cerrados da região central do Brasil, junto com outros militantes. A tarefa principal do grupo era organizar uma base de apoio à Guerrilha do Araguaia no Oeste baiano”, explica Everaldo.