O fim do jornal Agora São Paulo

Por Altamiro Borges

A crise na mídia impressa segue em ritmo acelerado. Após 22 anos de circulação, o jornal Agora São Paulo anuncia que deixará de ir às bancas nesta segunda-feira (29). O Grupo Folha, dono do veículo, informa que “a decisão seguiu critérios econômicos baseados em circulação e publicidade” – em outras palavras, o jornal despencou em tiragem e em anúncios. O decadente império midiático também garante que “será facultado aos jornalistas se transferirem para a redação da Folha”. Será?

Segundo o Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, o jornal Agora possui “cerca de 30 profissionais, entre contratados em regime CLT, contratos temporários e freelancers”. Apesar do comunicado lacônico do Grupo Folha de que não haverá demissões, a entidade de classe enfatiza: “Estaremos de olho nesta transição”. Vale conferir a “carta de apoio às jornalistas e aos jornalistas do Agora” publicado pelo sindicato:

*****

Reunidos em assembleia na noite de quarta-feira (24), mais de 300 jornalistas manifestam o seu repúdio ao fechamento do Jornal Agora e sua solidariedade às e aos trabalhadores do veículo. Não foi com surpresa que a categoria recebeu a notícia, mas isso não a torna menos impactante, sobretudo por vir durante um processo de intensa mobilização da categoria por reposição salarial.

A comunicação chegou em meio a um processo histórico para as e os jornalistas: após mais de 40 anos, trabalhadoras e trabalhadores cruzaram os braços contra a intransigência das empresas e a tentativa de rebaixamento de salários. Mobilização que contou com a participação ativa dos companheiros do Jornal Agora, mesmo as/os trabalhares temporárias(os).

São cerca de 30 profissionais, entre contratados em regime CLT, contratos temporários e freelancers. Mesmo com notificação por parte da empresa da manutenção das e dos trabalhadores contratados, estaremos de olho nesta transição e seguimos mobilizados em defesa de nossa categoria.

Também saudamos o trabalho desses profissionais, que por 22 anos noticiaram pautas populares de interesse da classe trabalhadora, mas muitas vezes esquecidas por outros veículos.

Nós, jornalistas de jornais e revistas da capital de São Paulo, após a importante vitória da reposição salarial com base na inflação para a maior parte da categoria, seguimos mobilizados e em luta.

Charge: Laerte

Compartilhar: