No Espírito Santo, Mostra de Cinema Negro exibe 22 filmes

O curta brasileiro ‘O Dia de Jerusa’ será exibido no segundo dia de evento.

O Espírito Santo vai receber, a partir de quinta-feira (25), a I Mostra de Cinema Negro. O evento será realizado no Cine Metrópolis, na Ufes, em Vitória, e vai apresentar 22 obras, todas dirigidas por realizadores negros, além de debates e uma oficina.

O evento será dividido em quatro dias, o primeiro será dedicado ao cinema dos países africanos, o segundo dia ao cinema negro brasileiro e o terceiro ao cinema negro norte-americano. Os filmes vão ser exibidos à tarde e à noite, com sessões a partir das 14h.

Entre as sessões, também vão acontecer debates com profissionais do audiovisual capixaba. No domingo (28), último dia de evento, a Mostra vai exibir s melhores filmes do cinema negro.

“Há uma carência e uma necessidade de se mostrar os trabalhos realizados por profissionais negros do audiovisual dos mais variados locais do Brasil, Estados Unidos e os países do Continente Africano” afirma um dos organizadores, Adriano Monteiro.

O mestrando em Comunicação Social pela Ufes conta que todos os filmes exibidos são dirigidos por diretores negros. “Acreditamos que é importante ter uma visibilidade maior dos atores e atrizes negros, isso é de extrema importância e também está contido nessa mostra, mas acima disso também temos que nos preocupar em mostrar o trabalho daqueles realizadores que estão atrás das câmeras”, explica Adriano.

De acordo com o cineasta Délio Freire, a participação de negros e negras no cinema é um tema atual. “Basta lembrar o recente desabafo de Spike Lee à respeito da não indicação de profissionais negros em categorias relevantes do Oscar. A declaração provocou um boicote ao evento por profissionais negros”, lembra.

A programação também vai ter um espaço destinado apenas para curta-metragens realizados por mulheres negras.

“No Brasil, a questão também é antiga e se mostra um pouco mais delicada. Nos últimos dez anos, atrizes pretas e pardas representaram apenas 4,4% do elenco principal de filmes nacionais. E nenhuma mulher negra na direção ou como roteirista”, conta Freire.

Uma das mulheres convidadas para o debate no segundo dia de evento é a cineasta baiana Viviane Ferreira. Seu curta-metragem, “O Dia de Jerusa”, foi selecionado para fazer parte da programação de curtas-metragens do Festival de Cannes em 2014.

Além das exibições e dos debates, está programada uma oficina sobre Cinema Afrofuturista pelas manhas, que será ministrada pela Doutora e pesquisadora Kênia Freitas.

Programação

Quinta-feira (25)

14h: Sessão I

– La noire de… [1h20m] (Ousmane Sembene, Senegal, 1966)
– Punzi [21m] (Wanuri Kahiu, Kenia, 2009)
– Oya – Rise of the Suporishas [12m] (Nosa Igbinedion, Nigéria, 2014)
16h30: Mesa de debate: Cinema Africano e Cinema Brasileiro – Um Diálogo Possível?
18h00: Sessão II
– A Viagem da Hiena [1h25m] (Djibril Diop Mambéty, Senegal, 1973)

19h30: Cerimômia de Abertura

– Mother Of George [1h47m] (Andrew Desunnu, Nigéria-EUA, 2013)

Sexta-feira (26)

14h: Sessão I

– Alma no Olho [11m] (Zózimo Bulbul, Brasil, 1973)
– Beatitude [15m] (Délio Freire, Brasil, 2015)
– Sombras do Tempo [15m] (Edson Ferreira, Brasil, 2012)
– O Dia de Jerusa [20m] (Viviane Ferreira, Brasil, 2014)
– Bróder [1h33] (Jeferson De, Brasil, 2011)

16h30: Mesa de debate – Cinema Negro Brasileiro e o negro no Cinema Brasileiro

18h30: Sessão II

– Maicoun Diequison [9m] (Natanael de Souza e Ramon Zagoto, 2009)
– O Dia de Jerusa [20m] (Viviane Ferreira, Brasil, 2014)
– Lápis de Cor [14m] (Larissa Fulana de Tal, Brasil, 2014)
– Pouco Mais de Um Mês [23m] (André Novais Oliveira, Brasil, 2013)
– As Filhas do Vento [85m] (Joel Zito Araújo, Brasil, 2000)

Sábado (27)

14h: Sessão I

– Uma Supersimplificação da Sua Beleza [1h26m] (Terence Nance, 2012)
– Dope [1h 45m] (Rick Famuyia, 2015)

16h: Mesa de debate: Cinema Negro americano e sua influência mundial

18h: Sessão II

– A Noite em que o Sol Brilhou [1h40](Melvin Van Peebles, EUA, 1970)
– Straight Outta Compton [2h30] (F. Gary Gray, EUA, 2015)

Domingo (28)

14h: Sessão Final

– Mandabi [1h26] (Ousmane Sembene, Senegal, 1968)
– Grigris [1h41] (Mahamat-Saleh Haroum, Chade, 2013)
– Death at a Funeral [1h 32m] (Neil Labute, EUA, 2010)
– Febre da Selva [2h12m] (Spike Lee, EUA, 1991)

Fonte: Jornal Floripa

 

Compartilhar: