Morreu na madrugada desta sexta (12), Antonio Candido, um dos principais intelectuais brasileiros

Reconhecido como um dos mais importantes críticos literários do país, Antonio Candido morreu, aos 98 anos, na madrugada desta sexta-feira (12), em São Paulo. O intelectual nasceu no Rio de Janeiro, em 24 de julho de 1918.

Amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Candido um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT) em 1980. Sempre atuou em defesa das liberdades democráticas e de um projeto de desenvolvimento que propiciasse a autonomia ao país e maior divisão da riqueza, acabando com a pobreza.

Estreou como crítico literário na revista “Clima”, em 1941, ao lado de Décio de Almeida Prado (1917-2000) e Paulo Emílio Salles Gomes (1916-1977). Exerceu a sua função com maestria e inteligência. Considerado por muitos o mais importante crítico literário do Brasil.

Foi professor emérito da Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade do Estado de São Paulo (Unesp). Entre suas obras mais importantes estão “Introdução ao Método Crítico de Silvio Romero” (1944), “Formação da Literatura Brasileira” (1959) e “Literatura e Sociedade” (1965).

O velório começou às 9h no Hospital Albert Einstein, na capital paulista, onde Candido estava internado, e deve terminar às 16h. A equipe médica não divulgou a causa da morte. Ele deixa três filhas: Ana Luísa Escorel e Laura de Mello e Souza e Marina de Mello e Souza, também professoras da USP.

Principais obras:

– Introdução ao método crítico de Silvio Romero, 1945;
– Ficção e confissão: estudo sobre a obra de Graciliano Ramos, 1956;
– Formação da literatura brasileira: momentos decisivos, 1959;
– O observador literário, 1959;
– Tese e antítese: ensaios, 1964;
– Os parceiros do Rio Bonito: estudo sobre o caipira paulista e a transformação dos seus meios de vida, 1964;
– Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária, 1965;
– Vários escritos, 1970;
– Formação da literatura brasileira, 1975;
– Teresina etc., 1980;
– Na sala de aula: caderno de análise literária, 1985;
– A educação pela noite e outros ensaios, 1987;
– O estudo analítico do poema, 1987;
– Recortes, 1993;
– O discurso e a cidade, 1993;
– Teresina e seus amigos, 1996;
– Iniciação à literatura brasileira (Resumo para principiantes), 1997;
– O Romantismo no Brasil, 2002;
– Um funcionário da Monarquia: ensaio sobre o segundo escalão, 2002.

Portal CTB com agências. Foto: UOL

Compartilhar: