Livro sobre governos tucanos é contra a hegemonia neoliberal em Minas

Na noite desta quarta-feira (13) o Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, no centro da capital paulista, promoveu o debate Aécio Neves e a Blindagem da Mídia com o dirigente da CTB, Gilson Reis (também presidente do Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais e vereador pelo PCdoB em Belo Horizonte) um dos organizadores do livro Desvendando Minas: Descaminhos do Projeto Neoliberal e a jornalista e doutoranda em ciência política Érica Anita Baptista, autora do artigo em que analisa a atuação dos governos tucanos no controle da mídia local. “Todo mundo tem medo de uma ameaça velada de demissão, entre outros tipos de repressão”, ressalta Érica na sua falação.

Já o sindicalista da CTB conta que diversas entidades e se uniram no estado pra combater o pensamento hegemônico sob o manto do PSDB e de Aécio Neves. Reis explicou cada um dos 13 artigos do livro, além de atacar o “mito de mineiridade” que surgiu, segundo ele, com o avô de Aécio, Tancredo Neves, que é uma falácia em sua opinião. O professor revela também que o livro joga por terra o mito criado sobre a competência administrativa do senador tucano, com cara de bom moço, mas tem uma atuação truculenta de criminalização dos movimentos sociais e antidemocrático com uma tropa de choque no setor de imprensa do estado para impedir qualquer ataque à sua figura ou à sua administração, que vive no rastro do avô.

s200 erica anita.silva

 Érica explicou o que chamou de “modos operatórios da mídia” que entrou em cheio na guerra entre Aécio Neves e José Serra para a candidatura tucana ao Palácio do Planalto em 2010. “A disputa entre Serra e Aécio ganhou força a partir de 2009”, diz. Para ela, “O Estado de Minas (por Aécio) e a Folha de S.Paulo (por Serra) fizeram de tudo para defender o seu candidato e atacar opositor”, interferindo na pendenga interna do PSDB.

Gilson Reis acentua também que o governo de Aécio Neves gastou em publicidade R$ 1,5 bilhão e intimidou a mídia quando necessário para esconder escândalos, corrupção e tudo o que pudesse ir contra sua gestão. Mas o “estado de Minas não tem política de desenvolvimento, a educação e a saúde funcionam em situação muito precária”, define.

A proposta do grupo formado por dezenas de entidades consiste empromover eventos, debates e livros contra o pensamento hegemônico e trazer para o estado uma “discussão mais permanente e não somente em época de eleições, para analisar Minas no contexto nacional”, reforça Reis.

Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB

Livro:

Desvendando Minas: Descaminhos do Projeto Neoliberal, organizadores: Gilson Reis e Pedro Otoni, publicação de várias entidades, Belo Horizonte, 2013

 

Compartilhar: