Jornalistas do JT, em SP, decidem entrar em estado de greve

Diante da falta de resposta da direção do Grupo Estado ao ofício entregue pelo Sindicato dos Jornalistas, na semana passada, pedindo a imediata abertura de negociações sobre a situação dos profissionais, diante das informações de que o “Jornal da Tarde” pode ser fechado no final da próxima semana, assembleia reunida na última terça-feira (23) na porta da empresa decidiu decretar “estado de greve”.

Os jornalistas foram levados a esta tomada de posição diante do descaso, da falta de respeito, com a qual estão sendo tratados pela direção da empresa, que não lhes dá informações concretas sobre a situação, apesar de evidências sólidas de que se planeja o fechamento do “Jornal da Tarde”, inclusive com um cronograma já em curso. É preciso lembrar que é a dedicação destes profissionais, em alguns casos por muitos anos, o que vem garantindo a excelência e o sucesso do jornal junto a seu público leitor. Ao mesmo tempo, a vida dos jornalistas e de suas famílias está diretamente ligada aos seus empregos, e é revoltante que a direção da empresa trate o assunto com tanto desrespeito a quem vem lhe dedicando sempre o melhor.

Na semana passada, após assembleia com os jornalistas, o Sindicato reuniu-se com dirigentes do Grupo Estado e entregou-lhes um ofício, com três solicitações, pedindo uma resposta em até três dias úteis. As demandas foram:

a) assinar um termo de compromisso garantindo que a circulação do Jornal da Tarde seria assegurada até o final do ano;

b) comprometer-se a, caso decida fechar qualquer de suas publicações, avisar o Sindicato dos Jornalistas com, no mínimo, um mês de antecedência;

c) abrir imediatamente negociações sobre a situação do jornal.

No documento, o Sindicato dos Jornalistas também deixava clara sua solicitação: nenhuma demissão de jornalistas no Grupo Estado. Caso haja o fechamento do JT, a entidade buscará negociar o remanejamento dos profissionais para outras atividades jornalísticas no próprio Grupo Estado – no “Estadão”, Agência Estado ou site.

É importante ressaltar que a mobilização em curso não pode ser entendida como restrita apenas aos jornalistas do Jornal da Tarde. O “ajuste” que, ao que tudo indica, está sendo preparado pela direção do Grupo Estado, pode atingir o conjunto dos funcionários da empresa, e é importante a união de todos para fazer frente à situação. A disposição do Sindicato dos Jornalistas é garantir a participação de todos, de forma democrática, sempre visando a defesa dos empregos, dos direitos e das melhores condições de trabalho para todos.

Fonte: Sindicato dos Jornalistas de São Paulo

Compartilhar: