Há exatos vinte anos morreu um dos maiores sambistas da história: Zé Keti

Zé Keti foi um compositor popular original e autêntico, um dos gigantes do samba carioca, ao lado de Paulinho da Viola, Cartola, Geraldo Pereira, Wilson Batista, Ismael Rosa e Noel Rosa. Um autêntico representante do chamado samba de raiz.

Entre os clássicos do artista, ligado à Portela, estão as músicas A Voz Do Morro, Máscara Negra, Acender as Velas e Diz que Fui Por Aí. Em suas músicas Zé Keti cantou sobre amores, boemia, carnaval, malandragem e o cotidiano nas favelas cariocas. Foi ele quem incentivou Paulinho da Viola a compor e sugeriu o nome de artista do grande compositor carioca, também portelense.

Ao lado de Nara Leão e João do Vale (veja foto), Zé Keti fez parte do show Opinião, um espetáculo musical dos anos 60 do século passado crítico ao regime militar, dirigido por Augusto Boal, produzido pelo Teatro de Arena e por integrantes do Centro Popular de Cultura da UNE – instituição que foi colocada na ilegalidade pela ditadura instaurada pelos generais em 1964 no Brasil.

Um músico que, embora desconhecendo a teoria musical (tudo que tocava era uma caixa de fósforo), foi dotado de um talento ímpar, que fruía com a naturalidade e a força de um caudaloso riacho. Ouça abaixo uma de suas belas (e, no caso, pouco conhecida) composições.

Compartilhar: