Difundir a cultura caipira brasileira para evoluir

Segundo a Fundação Nacional do Índio existem cerca de 900 mil indígenas no Brasil que falam cerca de 274 línguas diferentes. Pensando na cultura indígena e caipira, Mouzar Benedito e Ohi escreveram o “Paca, tatu, cutia!”, um glossário ilustrado com cerca de 800 palavras da língua tupi, com ricas ilustrações e explicações históricas sobre o significado delas e de como são usadas na língua portuguesa do Brasil.

“O glossário é uma pequena amostra das 40 a 50 mil palavras do vocabulário Tupi”, informa o ilustrador Ohi. Para ele, a cultura caipira, derivada dos índios, tem suas características próprias, inclusive na maneira de falar, e “não é errado como se propala muito por aí”, defende. “A maneira de pensar a vida é diferente. É o homem saindo do campo, mantendo-se na base da economia familiar, vendendo o que produz nas feiras para comprar o que necessita. E tem se dado bem até agora”, garante Ohi.

“Os estudos mais conservadores chegam em 10 mil os vocábulos de origem tupi no português falado no Brasil. Neste livro, procuramos levantar o máximo de palavras do cotidiano, além de alguns nomes de bairros, serras e estados”, definem os autores. Ohi explica que eles levaram 5 anos para realizar essa obra, que tem lançamento marcado para o sábado (25) na Livraria da Vila, Vila Madalena, às 16h, e outro em São Luiz do Paraitinga, no interior de São Paulo, no sábado (1º). O endereço é Rua Fradique Coutinho, 915, Pinheiros.

De acordo com Ohi, este glossário foi elaborado dentro do projeto da Sociedade dos Observadores de Saci de valorização da cultura caipira brasileira, “muito pouco difundida entre nós, e esse conhecimento é importante para a melhoria da autoestima do brasileiro inclusive”, acentua. (MAR)

Por Marcos Aurélio Ruy, publicado originalmente no Olho Crítico ed. 04

GlossárioTupiVertical

Compartilhar: