Categoria fala em greve 

Depois de duas reuniões de negociação ao longo de um mês, nada evoluiu  entre a Prefeitura de Campinas  e servidores públicos municipais, cujo mês base é maio. Na reunião desta terça-feira (28/05), o governo Jonas Donizette (PSB) não ofereceu nenhum reajuste salarial  sob alegação de que não há recursos para fazer nenhuma contraproposta, e ainda pediu a suspensão da negociação por 60 dias. Os trabalhadores,entretanto, após Assembleia rejeitaram o pedido  e uma nova rodada de negociação ficou marcada para o dia 18 de junho, as 17 horas, no Paço Municipal. “Tudo indica que esse será uma negociação das mais  difíceis já enfrentadas pelo STMC, mas nada pode ser empecilho, obstáculo, ao direito ao reajuste” disse Tadeu Cohen Paranatinga, presidente do STMC.  Os servidores  pedem  reajuste salarial de 12,20% e  Vale-alimentação de R$ 1.127,23. Hoje o valor pago é de R$ 982,56. Também querem aumento do vale nutricional no valor de R$ 155,46, além do  pagamento do abono salarial. Ainda de acordo com Tadeu,  o sindicato não descarta a possibilidade de greve caso o impasse permaneça : “E se  for uma greve, será uma das maiores já realizadas em Campinas. Há uma insatisfação geral”, avisa. 

Compartilhar: