Vídeo sobre o Escola Sem Partido satiriza suposto livro de história de Alexandre Frota. Assista!

Um hilariante vídeo sobre o projeto Escola Sem Partido, com texto de Gregório Duvivier, atuação excepcional de Helena Albergaria, responsável pela concepção do projeto. No encerramento a música “Anarkia Oi”, do grupo Garotos Podres.

Albergaria interpreta uma professora de história que vai falar sobre a escravidão. A aula começa sobre a “suposta escravidão, que teria acontecido no Brasil até o século 19”.

Questionada sobre o porquê do “suposta”. Ela responde que “muita gente prefere chamar de uso de mão de obra gratuita. E se eu chamar de escravidão eu vou tomar partido contra a escravidão”.

E “eu sou uma professora. Eu não to aqui pra tomar partido”. Aí ela lembra que “muitos preferem dizer que foi graças à escravidão que o Brasil cresceu como nunca”… E “eu não vou entrar nesse FlaFlu” contra ou a favor de nada, porque “preciso do emprego”.

A professora manda abrir o livro de história do Brasil, mas “esse não, o do Alexandre Frota”…

O vídeo reforça a ideia de Isis Tavares, Isis Tavares, presidenta da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil no Amazonas (CTB-AM) de que esse projeto “está no bojo da sustentação ideológica do golpe dessa elite que quer impor ao Brasil os seus interesses e restringir o pensamento a uma única possibilidade“.

Para ela, a ideia de controlar a juventude remonta ao nazismo. “Na Alemanha de Hitler aconteceu exatamente o que querem os defensores dessa proposta. Se os pais não gostassem daquilo que os professores estavam ensinando aos seus filhos, poderiam denunciá-los e os educadores corriam o risco de serem presos”.

Leia mais

Projeto ‘escola sem partido’ repete dogmas do nazismo

Estudantes se mobilizam em todo o país contra os projetos de liquidação da educação pública

Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

Assista o vídeo completo: 

Compartilhar: