Trabalhadores dos Correios vão a Brasília defender acordo coletivo da categoria

Lideranças dos principais sindicatos representantes dos trabalhadores dos Correios em todo o país estão em Brasília nesta terça (30) para negociar com o presidente dos Correios, Guilherme Campos, o respeito ao acordo coletivo da categoria.

Uma resolução baixada pelo Ministério do Planejamento acaba com os planos de assistência médica dos funcionários e condiciona este benefício ao pagamento de mensalidades pelos trabalhadores.

A proposta do governo descumpre o que está previsto no acordo coletivo de trabalho firmado entre as partes.

“Como é possível mudar as regras do jogo no meio da partida? Isso não é legal. A Justiça está do nosso lado. Não iremos aceitar”, diz Elias Diviza, presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares de São Paulo, Grande São Paulo e zona postal de Sorocaba (Sintect-SP).

“A Diretoria do SINTECT-SP repudia mais esse golpe do governo Temer e seus representantes na direção da ECT contra a categoria. Para tanto chama todos os trabalhadores a estarem mobilizados e preparados para defender seus direitos”, diz manifesto do sindicato.

Ronaldo Martins, o Ronaldão, presidente do Sintect-RJ também foi a Brasília e participa da reunião.

A expectativa dos sindicalistas é que a presidência dos Correios insista na proposta de pagamento, por parte dos funcionários, de mensalidade correspondente a 50% do valor do convênio médico, medida que a categoria não aceitou em assembleia. Se isso ocorrer, pode haver indicativo de greve.

Logo mais, outras informações sobre os encaminhamentos da reunião.

Portal CTB

Compartilhar: