Trabalhadores dos Correios lançam campanha salarial unificada contra processo de privatização

Na última segunda-feira (11) representantes dos 36 Sindicatos de Correios do país promoveram um ecnontro em Brasíliacom o objetivo de discutir três questões: a organização de um amplo movimento contra a privatização da Empresa; e a unificação de todos os Sindicatos de Correios com outras categorias como petroleiros, bancários e todos que tenham data base no segundo semestre.

No primeiro ponto os representantes Federação Interestadual de Trabalhadores dos Correios – Findect, Ricardo Adriane (Nego Peixe) e José Rivaldo da Fentect, fratificaram a necessidade de uma ampla campanha nos setores de trabalho, nas mídias sociais, com abaixo-assinados em todas as cidades, com cartas abertas à população nos grandes centros, carros de som nos bairros e com a criação de comitês contra a privatização dos Correios em todas as cidades. Os representantes dos sindicatos também se manifestaram concordando que a situação é de extrema gravidade, pois o presidente interino, Michel Temer, já afirmou que vai privatizar os Correios.

No segundo ponto os representantes das Federações e dos Sindicatos foram incisivos ao falar que todos os Sindicatos e Federações de Correios do País estão juntos para travar essa batalha contra a privatização. O debate também foi no sentido de unificar a nossa campanha salarial com outras categorias que também estão na “alça de mira” da Privatização.

No último ponto o debate foi sobre as recentes declarações do atual presidente dos Correios. “Consideramos covardes e levianas todas as declarações deste forasteiro indicado politicamente pelo Michel Temer a poucos dias. Elas revelam que ele desconhece a realidade dos Correios e principalmente a realidade de seus trabalhadores. Tais declarações criaram indignação e revolta na categoria e ainda desdobramentos como agressões verbais e até físicas de clientes a trabalhadores em algumas partes do Brasil. Os sindicatos entendem que eventuais agressões sofridas pelos trabalhadores, reflexo dessas declarações, são de inteira responsabilidade do Presidente e demonstram seu despreparo para conduzir uma empresa com a dimensão da ECT. Repudiamos as declarações do Sr. Guilherme Campos, para as quais daremos ampla divulgação nos meios de comunicação e na categoria, denunciando o seu desrespeito aos trabalhadores”, afirmaram em nota os sindicalistas.

Ao final, os presentes aprovaram o encaminhamento de todas as forças políticas, Sindicatos e Federações que representam os trabalhadores em todo Brasil, uma campanha salarial conjunta. 

Como demonstração dessa unidade os representantes dos sindicatos firmaram compromisso de realizar atividades conjuntas e deliberaram pela mesma data de deflagração de greve geral da categoria. “Caso a direção da ECT não atenda nossas reivindicações e não recue do plano de privatização da Empresa, a Greve Geral dos trabalhadores dos Correios está prevista para o dia 14 de setembro de 2016 a partir das 22h, em todo o país, porem segue a discussão de um calendário mais amplo no qual se unifique Correios, bancários e petroleiros”, ressaltoaram em nota.

Portal CTB com agências

Compartilhar: