Temer veta aumento do Bolsa Família e escancara que seu governo é para os ricos

“Ao vetar o aumento de 4,6% que seria concedido para o programa Bolsa Família no mês de julho, o presidente ilegítimo Michel Temer mostra a que veio”, diz Carlos Rogério Nunes, secretário de Políticas Sociais da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

Para ele, o argumento de que esse aumento custaria R$ 800 milhões aos cofres públicos não cola porque ”até o Banco Mundial defende aumento de recursos para esse programa que atende mais de 12 milhões de famílias”.

Já a ex-ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, disse ao Portal Vermelho que “a saída para a crise teria que ser aumentar a renda da população e com isto fortalecer o mercado interno. Nossa maior riqueza são os 210 milhões de brasileiros. Com renda a população voltaria a consumir e reaqueceria a economia’’.

O Bolsa Família foi instituído por medida provisória em outubro de 2003, no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Virou lei em janeiro de 2004 e desde então vem atendendo milhões de famílias.

De acordo com informações do próprio governo, o programa atende famílias que tenham renda per capita de até R$ 170, sendo que cada família recebe atualmente em média R$ 174 por mês.

Neste ano estão sendo atendidas pouco mais de 12 milhões de famílias, sendo que em 2010 chegou a atender quase 13 milhões. “O Bolsa Família é um dos maiores programas de distribuição de renda de todo o mundo, copiado por outros países e que tirou mais de 40 milhões de brasileiros da miséria. Não pode acabar até o país extrerminar com  a pobreza absoluta”.

Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy. Foto: Folhapress

Compartilhar: