Temer envia carta aos senadores para forçar aprovação da reforma trabalhista

Sob o embuste de que as reformas são necessárias para a retomada do crescimento econômico do país, Temer enviou, na tarde de hoje (28), uma carta aos senadores com o claro objetivo de pressionar parlamentares a aprovar o fim dos direitos trabalhistas.

Na carta, Temer afirma que a Câmara “melhorou a proposta sobre o tema”. Ele também afirma que poderá fazer vetos e edição de medidas provisórias que, supostamente, agregariam as contribuições dos senadores, mas restringe veladamente o direito do Senado de cumprir seu papel de legislador, não acolhendo as propostas apresentadas no parlamento.

Temer, que goza de cerca de 90% da falta de confiança dos brasileiros e brasileiras, afirma em sua carta que está assumindo o compromisso de ajustar e acolher as mudanças ao projeto. O líder do governo, Romero Jucá, disse que o presidente ilegítimo estaria se comprometendo com oito pontos a serem ajustados.

A oposição está protestando para que a votação não aconteça hoje, visto que Temer não conta com a confiança nem dos brasileiros nem dos senadores e, portanto, não é possível contar com o compromisso de que ele vá fazer modificações em favor da classe trabalhadora. O senador Lasier Martins (PSD/RS) também se manifestou contrário para que a votação seja mantida. O senador gaúcho, que é da base do governo, pediu mais tempo para a discussão da nova proposta que acabou de chegar.

De Brasília, Sônia Corrêa – Portal CTB

Foto: Agência Senado

Compartilhar: