STF decide abrir processo contra senador tucano

Por maioria de 5 votos a 3, o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu nesta quinta-feira (3) abrir ação penal contra o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) e torná-lo réu por envolvimento no esquema de caixa dois durante sua campanha para reeleição ao governo de Minas Gerais, em 1998, que ficou conhecido como mensalão mineiro.

A maioria dos ministros seguiu voto apresentado no dia 5 de novembro pelo relator do caso, ministro Joaquim Barbosa, que recebeu a denúncia pelos crimes de lavagem de dinheiro e peculato (apropriação indevida por funcionário público).

Pela denúncia apresentada em 2007, foram desviados R$ 3,5 milhões por meio de contratos de publicidade entre a agência SMPB e as estatais Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), Companhia Mineradora de Minas Gerais (Comig) e Banco do Estado de Minas Gerais (Bemge).

O empresário Marcos Valério e outros 13 envolvidos no caso mineiro foram encaminhados à Justiça comum. Apenas o senador, por ter foro privilegiado, tem a denúncia analisada pelo Supremo. O crime de peculato tem pena de 12 anos e o de lavagem de dinheiro, 10 anos.

Com agências

Compartilhar: