Sniper de Witzel mata homem que fez reféns em ônibus no Rio com arma de brinquedo

O homem que fez 31 reféns na manhã desta terça-feira (20) em um ônibus da linha Jardim de Alcântara (São Gonçalo), na ponte Rio-Niterói, foi baleado e morto por snipers, que agiram com autorização do governador Wilson Witzel (PSC). O sequestrador portava gasolina e uma arma de brinquedo.

O sequestrador disse ser da Polícia Militar e já havia liberado seis reféns do ônibus. A PM estimava que 31 pessoas ainda estavam dentro do coletivo. Ainda não se sabe o que motivou a ação do criminoso. Um suposto primo disse que ele era filho de um pedreiro.

Mais tarde soube-se que se tratava de Willian Augusto da Silva, um jovem negro de 20 anos, morador de São Gonçalo e sem ficha na polícia.

“Temos um homem que se identificou como policial militar. Ele parou o ônibus da Galo Branco na Ponte Rio-Niterói. Ele está ameaçando jogar gasolina no ônibus, colocando os passageiros em perigo. Estamos em negociação com ele para liberar mais reféns, não sabemos qual o real propósito dele”, anunciou Sheila Sena, porta-voz da PRF, à TV Globo, mais cedo.

Wilson Witzel chegou de helicóptero por volta das 9h40 na ponte Rio-Niterói e comemorou junto aos policiais a morte do sequestrador. Nas redes sociais, antes do sequestrador ser atingido pelos tiros, o governador afirmou estar em contato direto com o comando da Polícia Militar.

@wilsonwitzel

Estou acompanhando desde cedo, com atenção, o sequestro do ônibus na ponte Rio Niterói.  Estou em contato direto com o comando da Polícia Militar, que trabalha para encerrar o caso da melhor maneira possível. A prioridade absoluta é a proteção dos reféns.

Bolsonaro também enalteceu a ação policial e disse que ninguém deve ter pena do jovem negro que foi morto com seis perfurações quando aparentemente queria se entregar e, numa frase ofensiva aos familiares da vítima, disse que hoje “não chora a família de um inocente”. Silva portava uma arma de brinquedo e já não constituía ameaça para ninguém àquela altura.

“Parabéns aos policiais do Rio de Janeiro pela ação bem-sucedida que pôs fim ao sequestro do ônibus na ponte Rio-Niterói nesta manhã. Criminoso neutralizado e nenhum refém ferido. Hoje não chora a família de um inocente”, escreveu o presidente no Twitter.

Entenda o caso

Um homem, que ainda não foi identificado, entrou por volta das 5h30 em um ônibus da linha Jardim de Alcântara (São Gonçalo – Estácio (Centro do Rio). Ele usava uma arma de brinquedo e levava gasolina, dizendo que colocaria fogo no coletivo. O motorista do ônibus parou o veículo atravessado na subida do vão central da ponte Niterói-Rio e um grande congestionamento se formou na região.

Depois de 3 horas e meia, às 09h02, o homem desceu do veículo e foi baleado por snipers, autorizados pelo governador Wilson Witzel (PSC), e foi socorrido por ambulâncias que já estavam no local, mas não resistiu. Testemunhas disseram que foram cerca de seis disparos, seguidos de aplausos da população que acompanhava o caso. Um dos snipers também teria comemorado sobre um carro de bombeiros, sinalizando para os demais policiais que acertou o sequestrador.

Ao todo, havia 37 pessoas dentro do ônibus. Porém, seis reféns – 4 mulheres e 2 homens – foram liberados no momento que o sequestrador desceu do ônibus. Nenhum refém se feriu. Não se sabe ainda o que motivou o sequestro.

Fonte: Fórum

Compartilhar: