Sem PLR, trabalhadores dos Correios podem ir à greve

A Findect (Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios) convoca os seus filiados (sindicatos de São Paulo, Rio de Janeiro, Bauru, Rondônia, Rio Grande do Norte e Tocantins) a realizarem assembleias na quinta-feira (13), após a reunião convocada pelo ministro do TST (Tribunal Superior do Trabalho) Ives Gandra na quarta-feira, às 9h. A reunião foi convocada pelo vice-presidente do TST, Ives Gandra para resolver o impasse criado com o descumprimento do acordo firmado com a ECT (Empresa dos Correios e Telégrafos) e os trabalhadores ecetistas para o pagamento da PLR (Participação no s Lucros e Resultados), em outubro. “Com um mês de atraso no pagamento da PLR, os trabalhadores estão revoltados com o descumprimento do acordo e podem recorrer á greve se a ECT continuar desrespeitando os mais de 110 mil ecetistas do país”, diz Douglas Cristóvão de Melo, diretor de Anistia da Findect. 

Os sindicalistas contam que o acordo foi firmado em outubro com intermediação do TST, mas a demora da resposta da ECT está trazendo inquietação entre os trabalhadores. “A disposição é de paralisar as atividades já na assembleia da quinta”, realça Douglas. Para por um ponto final no impasse, o ministro Ives Gandra convocou a Findect para a audiência na quarta e garantiu que essa será a última reunião mediada por ele sobre as questões das PLRs 2013, 2014 e 2015.

“A Findect e seus filiados nunca se recusaram a sentar-se à mesa de negociações, mas se não houver nenhuma resposta satisfatória da empresa, a categoria pode deflagrar greve”, confirma Douglas.

Conheça a proposta feita pelo ministro do TST e aceita pelos trabalhadores:

PLR 2013 – Seguindo solicitação da Findect, o vice-presidente do TST propôs que a ECT pague a PLR na folha de pagamento de outubro, com valor mínimo em torno de R$ 620 para os trabalhadores que estiverem nos critérios da PLR. Além disso, o Ministro pediu para que o valor seja pago independente da aprovação das assembleias e do DEST (Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais) Como forma de adiantamento.

PLR 2014 – O Ministro propôs que os critérios sejam iguais aos da PLR 2013, garantindo, também, a parcela de Produtividade, além da parcela do lucro.

PLR 2015 – Seria negociada com a ECT até 17 de novembro de 2014, prazo limite estabelecido pelo DEST para as negociações da PLR.

Portal CTB com informações da Findect

Compartilhar: