“Se aprovada, reforma acabará com a Justiça do Trabalho em cinco anos”, afirma ministro do TST

“Se aprovada, reforma trabalhista acabará com Justiça do Trabalho em cinco anos”, sentenciou ministro do TST, Luiz Philippe Vieira de Mello Filho, ao criticar a proposta de reforma trabalhista, o PL 6787/2016, encaminhada por Michel Temer ao Congresso e que, hoje, tramita no Senado Federal após aprovação na Câmara dos Deputados. 

As afirmações foram feitas durantes audiência pública promovida pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil para debater a proposta de reforma trabalhista e seus impactos para o mundo do trabalho.

 

Durante sua fala Vieira de Mello afirmou que “tal reforma traz para os dias de hoje o positivismo jurídico para ser aplicado em uma sociedade de massas e de uma ordem complexa sem tamanho. Com essa medida a figura do juiz passa a ser o de um mero leitor de leis”. Ele também falou sobre a ofensiva contra as entidades representativas dos trabalhadores. Para o ministro, a proposta da forma como está “vilipendia o sindicato e fragiliza a independência e organização” do movimento sindical. 

Acompanhe na TV CTB:


Portal CTB

Fotos: Sônia Correia

Compartilhar: