Reforma pode deixar 5 milhões sem emprego

As perspectivas para a economia brasileira não são nada boas. A recessão continua, a estimativa de crescimento é pífia e o desemprego não para de crescer. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o país tem 13,1 milhões de pessoas de fora do mercado de trabalho. Mas, o que está ruim, pode piorar.

Mesmo com o cenário de “terra arrasada”, o governo federal insiste em tentar empurrar a reforma da Previdência, que acaba com o direito à aposentadoria do trabalhador. Se aprovada, a proposta vai agravar o quadro. A previsão é de que a economia nacional perca R$ 87 bilhões por ano e, ao menos, 5 milhões fiquem desempregados em 10 anos.

O PIB (Produto Interno Bruto) deve cair em 1 ponto percentual. A informação não é para causar terror. Mas, para alertar. Pela PEC (Proposta de Emenda à Constituição), o trabalhador terá de contribuir por 40 anos ao INSS para ter direito ao valor integral da aposentadoria.

Não é só isso, os benefícios previdenciários devem ser calculados sobre a média de 100% das contribuições, rebaixando ainda mais o valor final. O BPC (Benefício de Prestação Continuada) seria desvinculado do salário mínimo e não teria a correção monetária.

Tudo isso, causaria impacto na renda das famílias brasileiras, prejudicando o mercado interno. A tendência é o cidadão reduzir o consumo ao máximo. Resultado: muitas empresas vão fechar as portas e milhões de pessoas demitidas. Para completar, um item da reforma desobriga as empresas a pagarem a multa de 40% em caso de demissão sem justa causa, facilitando os desligamentos.

Com informações de bancariosbahia.org.br

Compartilhar: