Para debater os rumos do país, CTB promove em novembro o seminário “Diálogos para a resistência”

A Central dos Trabalhadores e do Trabalhadoras do Brasil (CTB) promove nos dias 8 e 9 de novembro, em São Paulo, o seminário “Diálogos para a resistência”.

O evento contará com a participação de sindicalistas, lideranças sociais, políticos, professores e intelectuais para debater os rumos políticos do país, a construção de uma resistência eficaz, os riscos à nossa soberania e a ameaça à educação democrática e livre.

O dirigente da CTB Eduardo Navarro, um dos idealizadores e organizadores do evento, lembra que o país vive um momento de forte ataque à democracia e aos direitos sociais e trabalhistas, com implicações para toda a sociedade.

“O seminário contribui para que se reflita sobre os caminhos e as alternativas populares que se fazem necessárias ao enfrentamento do neoliberalismo e do neoconservadorismo”, afirma. 

A criação deste espaço de debates partiu do princípio de que os neoliberais – embalados pela falsa noção de que a crise econômica atual tem sua origem nos custos de mão de obra e não na crise do capitalismo iniciada em 2008 – têm se movimentado para retirar os direitos e garantias contidos na CLT e na Constituição Federal.

As centrais sindicais e o mundo do trabalho como um todo conhece este filme e sabe que isto trará precarização às relações trabalhistas, promovendo terceirização generalizada, ampliação de jornada de trabalho e mudanças nas aposentadorias dos trabalhadores e trabalhadoras.

No caso particular deste momento, o governo sinaliza também com cortes drásticos na educação e saúde públicas. E todas estas medidas têm como plano de fundo a ampliação da margem de lucro em detrimento das políticas de inclusão de amplas parcelas da sociedade aos mecanismos de proteção social.

“Neste cenário, precisamos construir a resistência contra o desmonte dos direitos do povo brasileiro, patrimônio que foi construído com muito sacrifício por gerações de lutadores e lutadoras”, diz Navarro.

Programação:

O seminário terá quatro mesas de debates:

“Qual rumo político construir pós-impeachment?”, Ciro Gomes (PDT-CE), Luciana Santos (PCdoB-SP) e Lindbergh Farias (PT-SP)

“O papel dos movimentos sociais na construção da resistência”, com Carina Vitral, Guilherme Boulos (MTST), João Pedro Stédile (MST) e Adilson Araújo (CTB)

“Para onde vai nossa integração soberana?”, Iole Iliada (Fundação Perseu Abramo) e Luis Fernandes (PUC-RJ)

“Escola democrática X Escola sem partido”, Circe Bittencourt (PUC-SP) e Gilson Reis (Contee)

O time de debatedores ainda será confirmado.

Portal CTB

 

 

 

Compartilhar: