Não dá mais para esconder: cheque de propina de R$ 1 milhão aparece na conta de Michel Temer

Não somente as grandes manifestações desta sexta-feira (11) trouxeram dor de cabeça ao presidente golpista Michel Temer. E mesmo com a blindagem da mídia burguesa, aparece um cheque R$ 1 milhão em nome do então candidato a vice-presidente na chapa de Dilma Rousseff, durante a campanha eleitoral de 2014.

cheque andrade temer 768x350

Prova irrefutável do envolvimento em ilícitos por Temer. Analistas políticos enxergam muita complicação para que o golpista consiga se desvincular da candidatura de Dilma em uma ação que pede a cassação de ambos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A doação foi feita pelo ex-presidente  da Andrade Gutierrez, Otávio de Azevedo que também pode ficar em maus lençóis porque em depoimento anterior disse que o cheque de R$ 1 milhão se tratava de propina para o diretório nacional do PT. O cheque foi apresentado pela defesa de Dilma comprovando o repasse a Temer.O ministro Herman Benjamin, relator do processo no TSE, vê discrepância entre o depoimento prestado pelo empreiteiro e a prestação de contas da campanha. “Cada vez mais fica evidenciada a parcialidade da operação Lava Jato, principalmente nas prisões preventivas para forçar acordos de delação premiada”, afirma Carlos Rogério Nunes, secretário de Políticas Sociais da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

Em nota à imprensa, a defesa de Dilma afirmou que os documentos apresentados “comprovam que Otávio Azevedo fez afirmação falsa em juízo para prejudicar a chapa Dilma-Temer”. A defesa também disse que não houve a irregularidade apontada pelo executivo em relação ao PT”.

extrato temer

“Mas desta vez a prova está latente, não tem como negar, mesmo que parte da mídia ainda ignore o fato”, complementa Nunes. “A prova é contundente e não tem como esconder o cheque de R$ 1 milhão. O TSE não pode mais deixar para decidir o ano que vem. Não querem cassá-lo agora para realizarem eleições indiretas no ano que vem e aprofundar a ofensiva aos direitos trabalhistas”.

Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy com Brasil 247, GGN, G1 e El País Brasil

Compartilhar: