MTST é hostilizado por movimentos pró-impeachment no gramado do Congresso

O Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) teve nesta quarta-feira (28) seu acampamento em Brasília hostilizado por integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL) depois que as duas organizações se mobilizaram em frente ao Congresso Nacional.

O tumulto começou após os sem teto decidirem ocupar o gramado do Parlamento, ao lado das barracas de camping instaladas no local pelo MBL uma semana antes para pressionar pela aprovação da Lei Antiterrorismo.

Eduardo Borges, da coordenação do MTST/DF, esclarece no vídeo abaixo o incidente, ressaltando que, depois da hostilização inicial, os integrantes do MBL esticaram uma fita entre os dois acampamentos e chamaram a polícia para vigiar as atividades do MTST. “Essa faixa claramente mostra a realidade do país hoje: de um lado fica o rico, e do outro lado ficam os pobres”, comparou.

 

DESMONTANDO AS MENTIRAS DOS FASCISTINHAS Eduardo Borges, da coordenação do MTST/DF, esclarece a manifestação de hoje…

Posted by Guilherme Boulos on Quarta, 28 de outubro de 2015

O líder nacional do MTST, Guilherme Boulos, usou seu perfil pessoal no Facebook para defender o caráter pacífico dos protestos contra a Lei Antiterrorismo. “Um provocador ligado ao MBL e parlamentares da direita buscou dar dinheiro às pessoas que estavam na manifestação, tentando descaracterizar e desmoralizar o movimento. É o velho preconceito das elites, que quer construir a ideia de que as mobilizações do povo pobre são motivadas por interesses menores”, escreve, e continua: “O MTST permanecerá acampado em frente ao Congresso Nacional contra a Lei Antiterrorismo, denunciando as medidas do ajuste fiscal de Dilma e exigindo a saída de Eduardo Cunha”.

Portal CTB

Compartilhar: