Movimentos ocupam Câmara e cobram #ForaCunha

Compondo a programação de atos contra o golpe e pela democracia, servidores da Câmara dos Deputados, movimentos sociais e juventude ocuparam o estacionamento do Anexo 3 da Casa para protestar contra a investida da oposição e pedir a saída do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, um dos protagonistas do golpe e réu no Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção.

Com palavras de ordem e a entrega simbólica de uma Constituição Federal gigante, os manifestantes reiteraram a defesa do mandato da presidenta Dilma Rousseff e afirmaram que da rua não sairão até barrar o golpe. Parlamentares de diversas siglas marcaram presença e reforçaram o coro dos manifestantes.

O presidente da CTB, Adilson Araújo, destacou a centralidade dos milhares de atos que ocorrem simultaneamente pelo Brasil e lembrou que a força e resistência dos trabalhadores deram grandes contribuições para a história. “Mais uma vez ocuparemos as ruas e defenderemos nosso povo e nossos direitos”.

“A CTB sabe o que está em jogo e sabe que quem pagará essa conta é o trabalhador, o povo pobre. A hora é agora, não permitiremos nenhum ataque que abale nossa democracia”, reiterou o líder sindicalista.

Leia também: 

CTB instala Tenda Cultural da Democracia em acampamento contra o golpe

Adilson Araújo: “Não queremos muro, queremos democracia”

A deputada Maria do Rosário (PT/RS) também marcou presença no ato e destacou a força da militância nas ruas como “um movimento fundamental para vencer a oposição golpista”. Para a parlamentar, nesta reta final, torna-se estratégico a mobilização geral dos trabalhadores e trabalhadoras.

“As caravanas que se levantam pelo país representam aquilo que de bom o Brasil tem. Assistimos a uma verdadeira onda em defesa da democracia, um movimento filho daquele que já enfrentou um golpe e que, com suor e sangue, trouxe o Brasil até aqui. Estamos diante de mais uma batalha e não permitiremos que a nossa Constituição seja rasgada”, avisa a parlamentar.

Na mesma linha, Bia Barbosa, representante do Comitê Pró-Democracia, destacou que trazer o movimento contra o golpe para os corredores da Câmara dos Deputados está sendo fundamental e já alcança resultados muito positivos.

“As blitz ajudam muito numa açào mais ofensiva sobre aqueles que defendem o golpe e os que ainda estão indecisos. Além disso, a confluência de forças entre Congresso, ruas, redes e movimentos revela um movimento que só cresce e fica cada vez mais forte para barrar a oposição que quer golpear nosso país.

Bia salientou que durante toda a semana haverá ação pelo corredores da Casa e que o Comitê não irá parar até barrar o golpe.

Portal CTB – Joanne Mota

Compartilhar: