Mourão volta a divergir de Bolsonaro e defende Brasil neutro nas eleições dos EUA

O vice-presidente, general Hamilton Mourão, voltou a se posicionar de forma contrária a Jair Bolsonaro ao afirmar que o Brasil deverá adotar uma posição “neutra” caso as eleições presidenciais nos Estados Unidos acabem sendo judicializadas. “Neutra, lógico. Não temos nada a ver com as questões internas americanas. Isso é princípio constitucional nosso. A gente não admite ingerência nos nossos assuntos internos e também não fazemos nos assuntos internos dos outros”, disse ele nesta terça-feira (3), de acordo com reportagem do jornal O Globo. 

Declaração de Mourão foi feita pouco após Jair Bolsonaro usar as redes sociais para dizer que o pleito norte-americano desperta “interesses globais” que levantam suspeitas de “ingerências de outras potências no resultado final das urnas”. No caso, ele faz uma alusão enrustida à China, Rússia e aos próprios EUA em caso de derrota de Donald Trump.

É uma percepção totalmente desconctada da realidade, que no entanto tem boa acolhida hoje num Itamaraty dirigido por um lunático perturbado pelo fanatasma do anticomunismo e adepto de teorias da conspiração envolvendo o socialismo chinês. O general Mourão parece não compartilhar os delírios da dupla Jair Bolsonaro/Ernesto Araújo.

Na semana passada, o vice-presidente já havia discordado da posição de Bolsonaro em não querer adquirir a CoronaVac, vacina desenvolvida pela chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. Na ocasião, Bolsonaro alegou existir um “descrédito muito grande” em torno da vacina chinesa.

Com informações do 247

Se inscreva no nosso canal no YouTube /TVClassista

Compartilhar: