Lula: “O governo precisa tomar a iniciativa. O emprego precisa ser uma obsessão”

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou de um café da manhã com blogueiros na manhã desta quarta-feira (20), em São Paulo, na sede de seu Instituto. Ao longo de cerca de três horas, Lula falou sobre combate à corrupção, a situação econômica do país e suas sugestões para superar a crise, o momento político da presidenta Dilma e do PT, entre outros temas. Você pode ler o resumo do encontro no site do Instituto Lula.

Lula falou sobre a importância de preservar o crescimento econômico para manter o desenvolvimento atingido nos últimos 13 anos, e ressaltou o papel do governo neste processo: “Se o governo não está pondo dinheiro [na economia], porque o empresário vai por? O governo precisa tomar a iniciativa. Você precisa escolher o que fazer, com investimento público. Precisamos de uma forte política de financiamento, temos muitas obras inconclusas que precisam ser terminadas”, disse, e ressaltou o Plano de Investimento em Logística, nesse sentido. “Não existe nada mais edificante para um ser humano do que ser capaz de prover seu próprio sustento. O jovem está ansioso para trabalhar. O emprego precisa ser uma obsessão para nós”, continuou.

O líder petista sugeriu que a presidenta reintroduza políticas de crédito e financiamento no curto prazo, com objetivo de reaquecer o consumo e os investimentos de forma imediata, seguidas de amplos investimentos em infraestrutura, articulando o movimento sindical e os empresários num pacto de crescimento. “Se a gente fizer tudo isso, a gente faz a roda da economia girar. Aí o governo vai arrecadar mais, e ter mais capacidade de investimento”, explicou.

Ele lembrou do caso dos Estados Unidos, que ao longo da crise emitiu trilhões de dólares para aquecer a própria economia, como um exemplo de endividamento proveitoso: apesar de terem subido sua dívida de 74% para 105% do PIB, evitaram uma depressão econômica que poderia ter estagnado aquele país por décadas. “O Obama endividou o país, mas para fazer a economia girar. Você cria um ativo que vai dar retorno e vai te ajudar a arrecadar mais. Agora falam da nossa dívida, ela cresceu porque o PIB caiu. Se o PIB crescer, ela cai. Então o jeito da gente consertar a economia, na minha opinião, é fazer a economia crescer”, falou.

O ex-presidente deu ainda um contra-exemplo: a Grécia. “Eles começaram uma crise que 30 bilhões resolviam, mas depois de 10 anos de discussão, chegou a uma situação que 200 bilhões não resolviam”, lembrou.

Para Lula, Dilma precisa reestabelecer o diálogo com a sociedade, organizar a base política com outros partidos e assumir compromissos com aliados no Congresso. “Política é assim. Se tem uma coisa que o Congresso Nacional adora, e qualquer parlamento do mundo, é presidente fraco. Veja o papel do Eduardo Cunha: ele se presta a criar uma pauta-bomba todo dia, sem se importar se tem algo pra votar que tenha importância para o país. Pelo amor de Deus, precisamos pactuar com a base aliada, para que a minoria não paralise este país. O governo foi eleito para governar, e não pode permitir que a pauta negativa paralise o país”, concluiu.

Portal CTB, com informações do Instituto Lula

Compartilhar: