Está clara a participação da Secretaria de Justiça dos EUA no golpe, segundo Lula

Em entrevista  à revista Carta Capital, o ex-presidente Lula descreveu o caráter eminentemente política da Operação Lava Jato, que manteve estranhas ligações com os EUA e aparentemente foi instruída por Washington. “Está clara a participação da Secretaria de Justiça dos EUA”, lembrou.  

“Em dezembro de 2013, logo depois da vitória da Dilma, eu alertei a direção de que era importante que o PT começasse a dar-se conta do processo de criminalização do partido. O objetivo era tentar, em qualquer hipótese, evitar que houvesse 2018 com uma candidatura do Lula. Nunca consegui compreender por que a Operação Lava Jato, com mais de 200 que já houve, se transformou em uma instituição”, comentou.

“Eles esqueceram que era uma operação policial para investigar um determinado tipo de crime e transformaram em uma instituição com o objetivo veementemente político. E está claro o papel preponderante da Secretaria de Justiça dos Estados Unidos. O objetivo final era não me deixar ser candidato, era quebrar as empresas de engenharia no Brasil, quebrar a indústria de gás e óleo, quebrar indústria naval, para que, tal como aconteceu no Iraque, as indústrias americanas e outras indústrias europeias viessem fazer aqui o que as brasileiras faziam. Isso está acontecendo nesse instante.”

Preso político em Curitiba, Lula reiterou: “Só saio daqui inocentado”. E desabafou: “O duro é que estou aqui e o povo, que está em suposta liberdade, é vítima da maior canalhice jamais vista neste país. Um bando de incompetentes governa o Brasil”.

Leia íntegra aqui.

Compartilhar: