Encontro sobre gestão financeira fortalece CTB na luta política

Fluxo de caixa, planejamento estratégico, captação de recursos, imposto sindical, aumentar número de filiados, como investir e gastar bem o dinheiro, entre outros, foram temas presentes no 1º Encontro sobre Gestão Financeira da CTB nesta quinta-feira (24) em São Paulo com a participação ativa de dezenas de sindicalistas de todo o Brasil. Tudo começou às 9h com a explanação de Renato Bastos, do Centro Nacional de Estudos Sindicais e do Trabalho (CES) sobre como realizar gestões com qualidade sem perder de vista os interesses da classe trabalhadora.

“O Encontro revelou o quanto é fundamental o fortalecimento do projeto sindical classista da CTB e para uma compreensão do atual quadro financeiro da Central”, define Adilson Araújo, presidente da CTB. Adilson garante que a gestão cetebista dá toda a transparência aos seus atos administrativos e a direção nacional está procurando aprimorar cada vez mais sua atuação para avançar na luta sindical com mais força. “Toda informação sobre a nossa gestão é pública e estaremos sempre prestando conta de nossos atos”, garante.

“Decidimos realizar este Encontro na reunião do Conselho Político da entidade em maio, porque já estava definido pelo nosso Planejamento Estratégico debater a gestão financeira visando aperfeiçoar a atuação de nossos dirigentes”, revela Kátia Gaivoto, secretária geral da CTB. Para Gilda Almeida, secretária de Finanças da Central, “Não existe uma receita própria sobre gestão financeira. Por isso, decidimos realizar o Encontro para trocar experiências e debater as gestões dos exercícios financeiros das entidades sindicais e buscar soluções que aumentem a arrecadação da CTB para melhorar ainda mais sua atuação”.

Leia as resoluções do Encontro aqui

Para Gilda, “a gestão financeira de qualquer organismo é essencial, porque sem ela não se consegue executar a política para avançar nas questões importantes neste momento do país”.

Já para o vice-presidente da CTB Joílson Cardoso “um sindicato, uma central ou qualquer organismo sindical pertence aos trabalhadores e por isso exige uma grande responsabilidade em administrar os seus recursos financeiros. Por isso este Encontro tem como objetivo descobrir maneiras de aumentar os recursos para fortalecer a qualidade e a quantidade dos trabalhos da CTB”.

encontro-gestao-financeira-julho-2014

Kátia preconiza a necessidade de “sair daqui com uma resolução política sobre como conseguir aumentar os recursos da Nacional, das CTBs estaduais e de nossos sindicatos e colocarmos em prática nossos planejamentos e assim avançarmos nas questões sobre o mundo do trabalho e na vida dos brasileiros”.

Para Severino de Almeida Filho, presidente do Sindicato Nacional dos Oficiais da Marinha Mercante (Sindmar), “é fundamental entender a importância de uma boa gestão financeira para estabelecer um equilíbrio entre a receita e os gastos de qualquer entidade”. Para o sindicalista do Rio de Janeiro, “os dirigentes sindicais não podem ficar mais esperando que a CTB venha resolver seus problemas, ao contrário, cada sindicato é que deve contribuir para melhorar a situação financeira da nossa Central”. 

A planilha apresentada no Encontro mostra que os sindicatos de trabalhadores rurais são os que estão mais em dia com a contribuição financeira para a Central. Sérgio de Miranda, presidente da CTB-RS explica isso porque “no geral, os sindicatos de trabalhadores rurais têm uma boa gestão financeira dos poucos recursos que recebem”. Ele acentua que “mesmo assim, os dirigentes sindicais mostram muita responsabilidade com o dinheiro de suas categorias e procuram contribuir com a CTB Nacional da melhor maneira possível porque acreditamos que zelar pelos recursos dos trabalhadores é importante para aplicá-los na luta sindical”.

encontro-gestao-financeira-ctb-2014

“A classe trabalhadora vem sofrendo as consequências do brutal cerco imposto pela crise econômica mundial que impõe uma agenda perversa de regressão no trabalho, assim se faz necessário investir mais no empoderamento da nossa militância e no fortalecimento das entidades sindicais. Tudo isso contribui para a consolidação da CTB democrática, classista e de luta, tornando nosso projeto nacional ainda mais forte”, define Adilson.

Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB
Fotos: Érika Ceconi 

Compartilhar: