Emprego ainda não se recuperou, mas valor do salário reduziu

A crise financeira internacional que chegou ao Brasil no final de 2008 trouxe impactos negativos para o mercado de trabalho, gerando perdas no número de postos de tabalho, é o que aponta a Confederação Nacional da Indústria que divulgou estudo nesta quarta-feira (07) que revela que o emprego industrial apresentou crescimento de 0,7% em agosto em relação a julho, mas em relação a agosto do ano passado, o emprego apresentou queda de 4,5%.

No acumulado do ano, o emprego acumula queda de 3,3%, na comparação do mesmo período do ano passado.

Porém, esse início de recuperação não se reflete em todas as regiões do país. Para o economista da CNI, Flávio Castelo Branco, o crescimento do emprego em agosto mostra que os ajustes feitos na indústria no mercado de trabalho por conta da crise terminaram. "O ajuste acabou sendo menor do que se esperava um pouco, embora a magnitude tenha sido expressiva", completou.

O faturamento da indústria cresceu 1% em agosto em relação a julho. Em relação a agosto do ano passado, porém, houve retração de 3,6%. Entre janeiro e agosto, a queda é de 7,9% em relação ao mesmo período de 2008.

"É um indicativo bem nítido da continuidade do processo de recuperação da indústria. Os dados ainda são bastante negativos quando comparamos com agosto do ano passado, mas a sequência de resultados favoráveis nos últimos meses já mostram que a indústria, alavancada pela demanda domestica, segue em recuperação", completou Branco.

Salários

Além do saldo negativo de vagas em relação ao ano passado, outra questão que chama atenção é a remuneração salarial dos admitidos tem sido inferior à média do salário dos demitidos, isto é, estão sendo demitidos trabalhacores com salários maiores e contratados com salários inferiores. Na comparação com agosto de 2008, houve queda de 2,5% na massa salarial. No acumulado do ano, a queda é de 1,7%.

As horas trabalhadas caíram 0,2% em agosto em relação a julho e 9,9% em relação a agosto de 2008. No acumulado do ano, a queda é de 7,9%.

Portal CTB com CNI

Compartilhar: