Em Minas Gerais e Roraima CTB marcha contra o golpe

Mineiros e mineiras também saem às ruas contra manipulação golpista liderada pela mídia burguesa

Na manhã desta sexta-feira (13), as centrais sindicais CTB e CUT, MAB (Movimentos dos Atingidos por Barragem), MST, organizações dos estudantes (UEE, UBES, UNE), parlamentares e diversas outras organizações sociais da sociedade civil organizada marcharam por mais de 2 Km pela BR 381, em Minas Gerais, defendendo os interesses da nação. Na pauta: A defesa da Petrobras, dos empregos dos trabalhadores que cercam o complexo da REGAP, do combate aos corruptos (tanto corrompidos quanto corruptores), avanços na democracia, contra a retirada dos direitos trabalhistas (MPs 664 e 665, PL 4330), contra as ameaças golpistas da mídia e da direita reacionária e em defesa do Brasil e do Estado Democrático de Direito.

CTB em Roraima protesta contra restrição de direitos trabalhistas e pede avanços nos direitos

A manifestação da CTB-RR começou na manhã desta sexta-feira (13) com entrega de panfletos na Universidade Federal de Roraima (UFRR), em Boa Vista. O ato é uma alusão ao Dia Nacional de Luta em defesa dos direitos da classe trabalhadora, da Petrobras, da democracia, reforma política, e contra o retrocesso.

2015 03 13 roraimaRoraimenses pregam avanços na política de direitos contra o golpe

Um dos objetivos do ato é contestar as acusações jurídicas e políticas que recaem sobre a Petrobras e sustentar a necessidade de derrubar as Medidas Provisórias 664 e 665, que impossibilitam direitos trabalhistas como seguro-desemprego e auxílio-doença. A manifestação defende ainda a democracia e a reforma política.

A vereadora Sueli Cardoso (PT), presidente da CTB-RR, disse que a finalidade do Dia Nacional de Luta é levar o conteúdo e a pauta relacionada ao ato.

“Queremos a manutenção da democracia do nosso país, pela defesa da Petrobras como patrimônio nacional. E com o esclarecimento de que as Centrais Sindicais, e a CTB em especial, não concordam que os direitos dos trabalhadores sejam alterados, por exemplo, o seguro desemprego, ao abono salarial, pensão por morte. Esses direitos são restringidos pelas MP’s 664 e 665”, destacou Sueli. A petista ressaltou que o público-alvo foram acadêmicos e pais de estudantes de escolas públicas.

Segundo ela, os militantes do ato são de partido de esquerda e apoiam o Governo Federal. “Nós fizemos opção pelo governo de Dilma Rousseff (PT), mas isso não quer dizer que concordaremos com as ações do Governo porque, em primeiro lugar, sempre estaremos ao lado dos trabalhadores, cobrando sempre os direitos dessa classe”, pontuou.

A petista defendeu ainda uma reforma política eficiente e que não favoreça a classe empresarial a qual financia campanhas eleitorais. “Quem sai perdendo é o povo. Não podemos deixar isso continuar. Por isso, pedimos mudança”, sustentou. As manifestações da classe sindical continuarão durante a tarde desta sexta-feira em Boa Vista.

Fonte: CTB-MG e CTB-RR

Compartilhar: