Desmonte do SUS: Temer manda cortar banda larga das UBSs pelo Brasil

Dando seguimento ao seu projeto “Ponte para o Futuro”, o Ministério da Saúde da gestão biônica de Michel Temer avisou que as Unidades Básicas de Saúde (UBS) em todo o país ficarão sem o serviço de banda larga.

A denúncia, publicada pelo Alerta Social, foi feita por Heider Pinto, médico sanitarista e ex-secretário de Gestão da Educação e do Trabalho do Ministério da Saúde no governo Dilma Rousseff. A justificativa do ministério é “corte de custos”. Com a canetada de Temer e do seu ministro Ricardo Barros, as unidades retrocederão a uma fase pré-internet.

Em sua denúncia, Heider Pinto diz que “na prática, o que se observa são medidas de desmonte do SUS, retrocesso na gestão e piora no acesso à saúde e atendimento das pessoas”.

As Unidades Básicas de Saúde são serviços conhecidos como “postos de saúde”, que realizam ações capazes de resolver o problema de oito em cada dez pessoas que as procuram. No governo da presidenta Dilma Rousseff, a meta era que mais de 40 mil UBSs no país entrassem no Plano Nacional de Banda Larga.

Qual o impacto?

Ter internet de banda larga nas UBSs é fundamental porque permite, dentre outras coisas, implantar modelos de agendamento que reduzem o tempo de espera e atender primeiro as pessoas que têm maior necessidade. Permite, também, o uso do prontuário eletrônico, que melhora a qualidade do atendimento e reduz o risco de erros nos procedimentos médicos.

Portal CTB – Com informações do Alerta Social

 

Compartilhar: