Custo de vida 0,27% mais alto em setembro

Em setembro de 2009, o custo de vida no município de São Paulo apresentou taxa de 0,27%, ou seja, 0,03 ponto percentual (pp) menor que a de agosto (0,30%), segundo cálculo do DIEESE. Os grupos com maiores aumentos foram: Alimentação (0,51%), Habitação (0,39%) e Transporte (0,50%) que, em conjunto, contribuíram com 0,31 pp no cálculo da taxa de setembro. Retração nos preços foi verificada nos grupos: Vestuário (-0,46%), Equipamento Doméstico (-0,55%) e Saúde (-0,16%).

Índices por estrato de renda – Além do índice geral, o DIEESE calcula ainda mais três indicadores de inflação, segundo tercis da renda das famílias paulistanas. Em setembro, as taxas por estrato de renda foram de 0,31% para o estrato 1; 0,26%, para o 2 e de 0,27%, para o 3. O estrato 1 corresponde à estrutura de gastos de 1/3 das famílias mais pobres (renda média = R$ 377,49*); o estrato 2 contempla os gastos das famílias com nível intermediário de rendimento (renda média = R$ 934,17*) e o 3º estrato reúne aquelas de maior poder aquisitivo (renda média = R$ 2.792,90*).

Inflação acumulada – Nos últimos 12 meses – entre outubro de 2008 e setembro de 2009 – o ICV-DIEESE acumula alta de 3,89%. Ao se considerar os diferentes estratos, as taxas são distintas: estrato 1, 3,52%; estrato 2, 3,42% e estrato 3, 4,22%. Neste ano, entre janeiro e setembro, a inflação medida pelo DIEESE é de 2,80%. A maior variação (2,98%) foi detectada para o 3º estrato, enquanto para os dois outros estratos foram registradas taxas ligeiramente menores 2,78%, para o 1º e 2,44%, para o 2º.

Inflação e critérios de estabilidade – Para analisar o comportamento da inflação segundo critérios de estabilidade, as taxas de variação mensal dos 594 itens que compõem o ICV foram agrupadas por trimestres, levando em conta as seguintes hipóteses: quando o preço sobe acima de 1%, considera-se comportamento Inflacionário; aqueles com variação abaixo de 1% têm comportamento Deflacionário e para os que se encontram no intervalo de variação entre ±1%, o desempenho é considerado Estável, para o período de janeiro de 2007 a setembro último. O estudo levou à conclusão de que os impactos nos preços do mercado interno sofreram mais com as altas das commodities do que com a crise financeira mundial.

Dieese  

Compartilhar: