CTB defenderá a educação pública com valorização profissional em congresso da CNTE

Com o tema “Paulo Freire: Educação Pública, Democracia e Resistência”, a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) reúne entre os dias 12 e 15 de janeiro profissionais de educação do Brasil e do mundo em seu 33º Congresso, em Brasília.

“Realizar o nosso congresso neste momento é essencial para debatermos os graves retrocessos que a educação pública está sofrendo”, destaca Marilene Betros, dirigente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

Ela ataca a reforma do ensino médio enviada ao Congresso através de uma medida provisória e aprovada pela Câmara dos Deputados recentemente. “É um grave retrocesso. Os profissionais da educação não vão se calar. Queremos que a educação avance para um patamar mais elevado, com ampla liberdade”, reforça.

Acesse o caderno de resoluções do congresso aqui

A programação aqui

Agora só falta o Senado votar essa medida. Betros afirma ainda que os docentes tiveram grandes avanços na carreira nos últimos anos e o governo golpista está pondo tudo a perder. “Esse projeto acaba com a obrigatoriedade de curso superior para lecionar e isso foi uma das nossas mais importantes conquistas para a valorização da carreira”.

A sindicalista critica a possibilidade de “termos professores e professoras por um suposto ‘notório saber’. Isso é uma falácia para desqualificar o magistério e acabar com os profissionais que atuam com dedicação e compromisso”.

“Parece brincadeira acreditar que qualquer pessoa possa lecionar, sem prejuízo para a qualidade do ensino. A formação dos profissionais da educação é fundamental para que educadores e educadoras sejam reconhecidos e valorizados”, afirma.

Lembra ainda que a Proposta de Emenda à Constituição 55, já foi aprovada e efetua drásticos cortes no orçamento da educação, congelando os investimentos e os salários dos servidores por 20 anos.

Ela garante que a CTB se mantém firma em defesa da educação pública, laica e de qualidade”. Para Betros, “não se pode mexer nessa área estratégica e essencial para o desenvolvimento do país, sem um amplo debate com toda a sociedade. Sem escola democrática o país não anda”.

Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

Compartilhar: