CTB convoca audiência pública na Câmara para debater sistema metroferroviário

salaciel_dep_domingos_neto

Preocupada com a situação de caos do sistema metroferroviario e seus impactos tanto para a população, quanto para os trabalhadores do setor, a CTB está convocando uma Audiência Pública na Comissão de Desenvolvimento Urbano (CDU), da Câmara Federal dos Deputados, para debater o tema.

Deputado Domingos Neto e Salaciel Vilela se reuniram em Brasília

A audiência, proposta pelo deputado federal Domingos Neto (PSB-CE), presidente da CDU, acontece na próxima terça-feira (19), a partir das 14h30.

A motivação, de acordo com Salaciel Vilela, secretário-geral adjunto da CTB nacional e articulador da atividade, foi o acidente do dia 16 de maio de 2012, quando dois trens do Metrô de São Paulo colidiram deixando dezenas de pessoas feridas.

O acidente, amplamente divulgado pelos meios de comunicação, só não teve maiores proporções devido ao profissionalismo do operador que freou a composição manualmente. Fato que comprova a importância da permanência do operador no comando do trem.

Há mais de cinco anos os trabalhadores do sistema lutam pela aprovação do Projeto de Lei 115/07, que tramita no Congresso Nacional, e visa regulamentar o exercício do trabalho em empresas de transporte metroviário, metroferroviário, por trens metropolitanos e demais modais de transporte sobre trilhos assemelhados, assegurando que em nenhuma hipótese esses veículos poderão ser deslocados ou operados sem a presença de pelo menos um operador em sua cabine de comando, devidamente treinado.

O PL, que enfrenta a resistência alguns parlamentares pouco interessados nas reais necessidades dos trabalhadores, já passou pela Comissão de Desenvolvimento Urbano e pela Comissão do Trabalho Administração e Serviço Público. Agora o projeto se encontra na  Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania, para depois seguir ao plenário da Câmara.

Outro objetivo da audiência, organizada em parceria com metroviários de São Paulo, Fortaleza, Rio de Janeiro, Minas Gerais Distrito Federal, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Piauí que compõem a Federação Nacional dos Metroviários,  é debater o impacto causado com as constantes paralisações  do sistema nas principais capitais brasileiras. Atualmente a greve, que dura mais de 30 dias atinge cinco estados: Minas Gerais, Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte.

“Essa discussão tem como pano de fundo a greve dos metroviários da CBTU, que tenciona abrir um canal de discussão com o poder público e alertar aos diversos segmentos da sociedade sobre a falta de investimentos no setor, bem como para os problemas enfrentados pelos metrofrroviarios, no que diz respeito às questões salariais e trabalhistas”, destacou Salaciel Vilela.

Portal CTB

Compartilhar: