Contrariando regulamento do Exército, o campeão das mentiras marcou presença em manifestação golpista de Bolsonaro no Rio

Jair Bolsonaro continua conspirando e pregando abertamente o golpe e já não restam dúvidas quanto ao seu propósito de ir abrindo caminho para consumar a empreitada golpista. Ao lado de insinuações recorrentes os atos nos finais de semana são provas incontestes disto.

Neste domingo não foi diferente, com um agravante: levou a tiracolo o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. O campeão das mentiras na CPI da covid é general da ativa e atropelou o regulamento do Exército ao participar ao lado do capitão reformado de um ato organizado por motoqueiros, que foram apelidados pelo senador Osmar Oziz, presidente da CPI da covid, de “motoqueiros do apocalipse”.

“Eu diria que esse evento que estou vendo aí seria os motoqueiros do apocalipse. Estavam, aí, festejando as mortes [por covid-19]”, lamentou o senador amazonense. Mais uma vez o presidente estimulou aglomerações e desfilou sem máscaras. O Mito da extrema direita, Pazuello e os motoqueiros do apocalipse cometeram várias infrações, demonstrando um impávido desprezo pela lei e certeza da impunidade.

O regulamento do Exército proíbe a participação de militares da ativa em manifestações políticas e isto foi lembrado nesta segunda-feira (24) até pelo general Hamilton Mourão, para quem o campeão das mentiras já entendeu que “cometeu um erro”.

“Eu já sei que o Pazuello já entrou em contato com o comandante informando ali, colocando a cabeça dele no cutelo, entendendo que ele cometeu um erro”, afirmou Mourão a jornalistas na chegada ao Palácio do Planalto.

É bom que receba as devidas punições. Se ficar por isto mesmo, a instituição, que vem sofrendo forte desgaste no governo Bolsonaro, corre o risco de completa desmoralização e vai passar a impressão de que também é cúmplice da conspiração golpista liderada pelo líder neofascista.

Compartilhar: