Contar comemora 6 anos

A CONTAR – Confederação Nacional dos Trabalhadores Assalariados e Assalariadas rurais – nasceu em 29 de outubro de 2015; fruto de uma grande discussão de um processo de dissociação sindical. Hoje aos 6 anos, a entidade comemora as conquistas e continua a luta para garantir direitos.
O primeiro Congresso extraordinário dos assalariados e assalariadas rurais, que fundou a CONTAR em 2015 em Brasília, foi um marco para a luta dos assalariados e assalariadas rurais no Brasil. São mais de 4 milhões de trabalhadores e trabalhadoras. Hoje com 11 federações filiadas e centenas de sindicatos por todo país, a CONTAR tem apoios de parceiros importantes como a UITA, OXFAM e Repórter Brasil, e uma rede de colaboradores que fortalece a luta para combater a desigualdade no Brasil.

HISTÓRIAS DE LUTA
Quando fomos uma secretaria da Contag, a luta foi sempre muito árdua e com muitas conquistas. Mas a história nos mostra que desde as organizações de associações no nordeste brasileiro, com a luta dos canavieiros, os assalariados e assalariadas buscavam a melhoria das condições de trabalho e melhores salários. No estado de Pernambuco, o presidente da FETAEPE, Gilvan Antunis, lembra que a entidade organiza a luta há mais de quarenta anos. “Participamos recentemente da 42ª Convenção coletiva de Trabalho do setor canavieiros, e conquistamos vitórias. Nossa luta é de mais de meio século de organização sindical, mas a nossa entidade específica tem 6 anos de existência, para continuar a luta”, afirma Gilvan Antunis.

Mulheres e espaço político

Maria Helena Dourado, secretária de Gênero e Geração da CONTAR, afirma que é as empresas resistem em pagar salários iguais para homens e mulheres nos setores de produção. “Nossa luta é também de conseguir o emprego, mostrar nossa força e agilidade no trabalho, e também superar o machismos e assédios nos locais de trabalho”, diz Maria Helena. A CONTAR participa ativamente do CLAMU – Comitê Latino-Americano da Mulher da UITA. Segundo Jaqueline Leite, vice presidente da UITA; “As mulheres assalariadas no Brasil, lutam incansavelmente para garantir seus direitos. Apesar de tudo, estamos ganhando espaços de participação, de incidência sindical e política”, diz a representante do CLAMU.

DESAFIOS E CONSELHO

“Nossa luta sempre foi para garantir direitos e melhores salários. Não vamos parar de lutar”, diz o presidente da CONTAR, Gabriel Bezerra dos Santos. Ele assegura que a entidade caminha forte para enfrentar um momento muito difícil para a classe trabalhadora. “Em toda pandemia, nós, os assalariados e assalariadas, ficamos na lida, não paramos de trabalhar, enfrentamos as dificuldades e ariscamos a nossa vida, para garantir alimentos e produtos à mesa do povo brasileiro”, desabafa Gabriel.
A CONTAR participa nesse momento de várias negociações e convenções coletivas de trabalho em todo país. “Os canavieiros do estado de Pernambuco lutaram e tiveram conquistas. Agora estamos numa dura negociação dos trabalhadores da fruticultura no Rio Grande Norte, e assim em todo país, uma batalha para garantir direitos e conquistar melhores salários. A situação econômica é favorável em vários setores do agronegócio, e precisamos participar desses lucros”, diz.
As comemorações dos 6 anos da CONTAR se estende até a Reunião do Conselho superior da entidade, que acontecerá nos dias 23 a 25 de novembro em Brasília. “Será o primeiro encontro da entidade de forma presencial durante a pandemia. “Será um desafio, com toda segurança sanitária e com disposição para deliberar questões importantes da classa trabalhadora”, finaliza Gabriel Bezerra.
A CONTAR produziu um vídeo comemorativo dos 6 anos da entidade (disponível no youtube) e também um podcast para ser ouvido pelos trabalhadores e trabalhadoras. O material está disponível nas redes sociais da entidade.

Veja aqui o vídeo comemorativo

Fonte:
LUIZ HENRIQUE PARAHYBA

Compartilhar: